domingo, 21 de dezembro de 2014

“É a celebração da interioridade,da simplicidade e não do espetáculo”

0 comentários
Procurando entender o porquê da sensação de que a magia do natal anda meio ofuscada, a Gazeta conversou com o Padre Leonardo Inácio Pereira,  auxiliar da Paróquia de São Pelegrino.

   Para começar Pe. Leonardo salienta que o Natal é um acontecimento contextualizado, histórico do nascimento de Jesus Cristo. A celebração da vida de Deus na vida do ser humano, porque o ser humano busca Deus e Deus busca o ser humano, tendo como esta data o encontro de ambos, onde Deus se faz homem no menino de Belém.
   Questionado sobre a sensação que se tem de que o verdadeiro espírito natalino anda meio ofuscado diante do ímpeto consumista que há tempos vem imperando nesta data, ele responde que percebe uma espécie de esvaziamento do sentido genuíno do natal. Segundo Pe. Leonardo, vivemos em uma sociedade muito estereotipada, que prioriza demasiadamente o aspecto externo, o espetáculo e não a interioridade.
   Onde a mídia cria muitas necessidades desnecessárias, e sabe até psicologicamente trabalhar a dimensão do desejo. O natal é a celebração da interioridade, da simplicidade, da pobreza, da manjedoura. Logo, deveríamos voltar à interioridade, à festa em família, ao encontro, à celebração na igreja, na comunidade, nas coisas simples. Parafraseando o Papa Francisco ele diz: “O natal é festa, e não espetáculo”.
   Ele frisa que esta data é uma oportunidade para as pessoas expressarem as outras o seu amor. Assim como Deus nos deu de presente o seu filho por amor, o sentido de presentear deveria ser a imitação de Deus. Dar de presente amor ao próximo.  “Hoje eu vejo muito mais uma sociedade que se preocupa com o espetáculo do que com a festa”, lamenta.
   Esta situação pode fazer com que muitas pessoas vejam o natal apenas como mais um feriado dentre tantos. Neste caso, Pe. Leonardo é enfático e diz que para estes falta-lhes a compreensão essencial do que é o natal. O espírito natalino se perde quando esquecemos a motivação primordial do natal, enquanto presente de Deus para nós. E nos deixamos levar por estes mecanismos comerciais, esquecendo a festa. “O feriado é bom, faz bem para o corpo e para a mente, mas o que torna o feriado bom é a compreensão de que existe um Deus que nos ama e se aproxima de nós de forma muito humana e simples”.
   No entanto, o sacerdote tem esperança de que o velho e bom espírito natalino pode ser resgatado. Basta as pessoas se darem conta da necessidade humana de buscar Deus e sua gratuidade, viver o sentido genuíno do natal, nas suas vidas, no cotidiano, participando da celebração do natal na comunidade, na igreja, fazendo festa em família e fazendo algum gesto de caridade. “O natal é a grande surpresa de Deus para o ser humano, um Deus que se faz criança. No momento que nos damos conta disto, vamos nos abrindo às suas surpresas, em todos os dias de nossa vida”,  afirmou.
O sacerdote se despede convidando a comunidade em geral, para que participe das missas especiais que irão ocorrer nos dias 24 às 17h, a missa do Galo às 20h. No dia 25 às 8h, 10h, 17h e 19h45min. Na missa do dia 28 às 17h ele informa que terá a celebração dos sacramentos de iniciação cristã, que são: o batismo, eucaristia e crisma, para 16 adultos que se prepararam durante o período natalino.
Dia 31 às 20h será celebrada a missa de Ação de Graças. E no dia 1º de janeiro as missas para comemoração da Solenidade de Nossa Senhora Mãe de Deus e para pedir paz, os horários serão: 10h, 17h, 19h45min.
   E também desejando que todos possam viver este período em muita paz e alegria. E que 2015 seja um ano em que todos possam reconhecer as surpresas de Deus.

Conhecendo Pe. Leonardo

   Padre Leonardo Inácio Pereira, natural de Caxias do Sul, foi ordenado padre no dia 12 de dezembro de 2004, na Paróquia de São Pelegrino. Em sua trajetória, ele trabalhou dois anos como vice-reitor do Seminário São José, onde estudam os seminaristas, do curso de filosofia da Diocese de Caxias. Um ano no serviço de animação vocacional da Diocese. Quatro anos no Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio, como reitor do Seminário Propedêutico. Nos últimos três anos esteve em Roma fazendo um mestrado em Teologia Bíblica. E desde agosto deste ano é padre auxiliar da Paróquia São Pelegrino
   No entanto Pe. Leonardo ressalta que pressentiu que este seria o seu caminho, quando tinha 15 anos e foi participar do grupo de jovens São Luís Gonzaga, na Catedral Diocesana. Sendo que a decisão por ser padre veio aos 17 anos. Ele recorda que no início foi meio complicado a aceitação de sua família, visto que eles gostariam que Leonardo fosse estudar medicina.
   No entanto, com o passar do tempo todos o compreenderam e hoje lhe apoiam integralmente. “Percebi que mais do que a saúde as pessoas precisavam receber o anúncio do amor de Deus. Amor que eu mesmo pude experimentar ao participar do grupo de jovens. Sinto que é o que Deus espera de mim”.
   Dentro do seu ofício, um dos maiores desafios para Leonardo é trabalhar na formação dos futuros padres, área em que sempre atuou. “É algo maravilhoso e ao mesmo tempo desafiador. Estas pessoas são um dom de Deus, e minha tarefa é formar com competência e muito amor aqueles que Deus colocou sob minha responsabilidade”.
   Já no campo pessoal Pe. Leonardo revela que passou por dois momentos difíceis: primeiramente quando sua mãe faleceu, logo no seu primeiro ano de sacerdócio, e o segundo momento foi ao chegar a Roma para a realização dos estudos citados acima. O seu pai, aqui em Caxias, sofreu um AVC. “O desafio, então, foi o de como ler a mão e Deus nestas situações difíceis”, revela.

                                                                                                        Foto Thiago da Luz Machado
Pe. Leonardo: “O sentido de presentear deveria ser a imitação de Deus. Dar  amor ao próximo”


Leia Mais ...

sábado, 20 de dezembro de 2014

Advogado alerta sobre os direitos do consumidor

0 comentários
Emílio Gehem de Moura responde algumas dúvidas dos leitores da Gazeta de Caxias e conta os segmentos que mais violam o Código de Defesa do Consumidor.


                                                                                                                           Foto Alex Konze, divulgação
Tem que se ter cuidado em faturas de cartão de crédito

            Apesar da proteção ao cliente que o Código de Defesa do Consumidor (CDC) confere, ainda é grande a quantidade de direitos que são violados, principalmente, por bancos, empresas de telefonia, TV por assinatura e planos de saúde. De acordo com o advogado e sócio proprietário da filial do Jobim Advogados Associados de Caxias do Sul, Emílio Gehem de Moura, o consumidor precisa estar atento, já que para todos esses casos existe proteção conferida pelo Código de Defesa do Consumidor que o defende e possibilita a devolução dobrada dos valores cobrados indevidamente e também o cancelamento da cobrança.
            Além disso, na maioria das situações, o consumidor também é indenizado por danos morais ou em função da tentativa frustrada de solucionar o problema administrativamente, e, principalmente, em casos de inscrição indevida no SPC/SERASA. “Nos planos de saúde a principal proteção conferida ao consumidor é aquela prevista no artigo 47, a qual prevê que as cláusulas contratuais devam ser interpretadas de modo a favorecer o cliente. Dessa forma, qualquer omissão no contrato, quanto à exclusão de cobertura deverão ser interpretadas de forma favorável ao consumidor e deverá ser coberto pelo plano de saúde”, explica Moura, que é especialista na área.        
            Para resolver a questão, o consumidor deverá entrar em contato com a empresa que forneceu o serviço ou produto, por meio do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). Caso não obtenha êxito, poderá ingressar judicialmente para que o problema seja resolvido.

Tire suas duvidas

Gazeta de Caxias - Quais as principais dicas para evitar ser vítima de dolo?
 Emilio Gehem de Moura - Estar atento, verificar se os preços na prateleira e no caixa são os mesmos e, principalmente, não emprestar o documento para que terceiros façam dívidas em seu nome.
Se o consumidor sentir-se lesado, como proceder?
Acredito que o consumidor sentindo-se lesado pode reclamar amigavelmente com o fornecedor. Caso o problema não seja resolvido ele pode dirigir-se ao PROCON ou ingressar na justiça para obter indenização.

Quais as principais obrigações da empresa fornecedora do produto/serviço nesses casos?
- As principais obrigações das empresas vendedoras/prestadoras de serviço são entregar o produto ou serviço conforme as especificações divulgadas, cobrar o valor que foi previamente anunciado, bem como responder pelos danos que o produto ou serviço causar ao consumidor.

Com a chegada do Natal muitas pessoas acabam tendo que trocar os presentes. A loja tem como obrigação fazer a troca do produto? Quais as situações em que ela tem esse compromisso?
- As lojas não são obrigadas a realizar trocas referentes a tamanho ou gosto do consumidor. Trata-se de uma liberalidade do lojista essa troca após o Natal. Todavia, caso haja algum defeito no produto, a loja é obrigada a efetuar a troca deste.

Quais os direitos básicos do consumidor?
-São aqueles previstos no Art. 6º do Código de Defesa do Consumidor, como a informação clara e adequada quanto às especificações e características do produto ou serviço. Também está assegurada a proteção contra publicidade enganosa ou abusiva, efetiva prevenção e reparação dos danos materiais e morais causados ao consumidor, assim como em caso de processo judicial a inversão do ônus da prova, ou seja, cabendo ao fornecedor provar que o produto não estava defeituoso ou que não houve dano a ser indenizado.

Como o consumidor pode obter acesso à informação de seus direitos?
- No caso de contratação de serviços, como bancos e planos de saúde, ler atentamente o contrato e havendo qualquer dúvida perguntar. Já nos estabelecimentos comerciais é obrigatório haver um exemplar do Código de Defesa do Consumidor. Informativos do PROCON também são bastante úteis para buscar informações.

Em quais casos cabe acionar a Justiça?
- Sempre que o consumidor for lesado por danos materiais ou morais e não ter sido devidamente reparado pelo fornecedor de forma amigável pode-se buscar o Poder Judiciário para a reparação.

   Conheça as principais 
reclamações dos consumidores  

Bancos:
Cobranças de valores não reconhecidos em faturas de cartão de crédito, em conta corrente e tarifas indevidas;
Falta de transparência das instituições financeiras, ausência de prestação de informações e cobrança de juros extorsivos;
Negociação de dívidas;
Solicitação de quitação antecipada do débito;
Inscrição indevida no SPC/SERASA.

Empresas de telefonia:
 Cobranças de serviços não solicitados pelo consumidor;
 Não cumprimento e alteração de contratos sem a ciência do cliente;
 Cobrança de tarifas abusivas;
 Cobranças de faturas após o cancelamento de serviços;
 Recusas injustificadas para prestar serviços;
 Não funcionamento das linhas de telefone, principalmente nos usuários do interior, e ausência de sinal da telefonia móvel;
 Inscrição indevida no SPC/SERASA.

TV por assinatura:
 Basicamente os mesmos das empresas de telefonia, até porque diversas vezes são as mesmas instituições;
 Inscrição indevida no SPC/SERASA

Planos de saúde:
 Negativa de cobertura de cirurgias, próteses e exames que o consumidor têm direito conforme seu plano;
 Aumento abusivo dos valores dos planos de saúde;
 Inscrição indevida no SPC/SERASA.

                                                                                                                       Foto Fábio Grizon, divulgação
Gehem: “O consumidor precisa estar atento”



Leia Mais ...

Fortalecendo vínculos e estendendo a mão

0 comentários
Desde 2003 estendendo a mão para crianças e adolescentes carentes da comunidade caxiense.

   A Presidente da Casa Anjos Voluntários, Isamar Ordovás Sartori, relembra que tudo começou em um porão, com uma peça emprestada, no bairro Charqueadas, no final da década de 1990.  Essa ideia nasceu devido ao grande coração e vontade de ajudar o próximo de uma senhora chamada de Tia Chica.
   Esta senhora, vendo a triste realidade de algumas crianças da redondeza, resolveu alimentá-las e orientá-las sobre higiene, saúde e espiritualidade. Para que sua iniciativa desse certo, ela contou com a ajuda de alguns empresários, que se sensibilizaram com esta causa nobre e lhe auxiliavam no fornecimento de alimentos.
   No início dos anos 2000 a sede da instituição passa a ser o espaço que antes era ocupado pela Escola Municipal Fermino Ferronato.  E a Tia Chica, por motivos particulares, deixa a instituição. “No entanto, neste período, a Casa já estava estruturada e continha uma grande diretoria”, ressalta Isamar.
    Este local foi cedido pela prefeitura em consenso com a Associação de Moradores do Bairro. Sendo que no ano de 2003, a Casa Anjos Voluntários foi oficialmente fundada, como sociedade civil, sem fins lucrativos, de direito privado e de caráter assistencial.
No ano de 2009, a Casa passa a ser caracterizada como serviço de convivência e fortalecimento de vínculos para crianças e adolescentes de seis a 16 anos, no turno contrário ao da escola. Desenvolvendo atividades socioeducativas e assistenciais. “Os métodos de educação da Anjos Voluntários são: aprender a ser, conhecer, fazer e conviver”, diz Isamar.
   O trabalho desenvolvido é voltado para a garantia de direitos, por meio da prevenção e socialização de crianças e adolescentes, e também de seus familiares, sendo um espaço de inclusão social, por meio de atividades socioeducativas. “Trabalhamos com oficinas, que são desenvolvidas para que as crianças saiam da situação que se encontram e vislumbrem uma vida melhor”, afirma.

Doações, voluntários 
e patrocinadores
são sempre bem-vindos

   Isamar Sartori informa que a Casa oferece em torno de 30 oficinas, entre elas estão: contação de história, jogos matemáticos, esportes, inglês, espanhol, informática, culinária, técnicas administrativas, aulas de rádio, dança de salão. Oferecendo também oficinas pré-profissionalizantes para adolescentes entre 14 e 16 anos e oficinas profissionalizantes para adultos, ambos a noite.
   Os jovens com 16 anos são encaminhados para escolas profissionalizantes, e estes fazem os encaminhamentos para vagas de emprego. Um dentre vários orgulhos da Casa é um coral composto por 30 meninas, que frequentemente tem se apresentado em empresas.
   Isamar salienta que atualmente a casa está atendendo 145 crianças e adolescentes, atuando com a sua capacidade máxima, e que na fila de espera estão 160 crianças. “É muito difícil que abra vagas, pois as crianças só saem quando completam 16 anos, ou quando se mudam para um bairro distante ou de cidade”, revela.
   Mesmo não tendo vagas, inscrições estão abertas o ano todo, tendo como critério de escolha para o preenchimento de uma vaga a vulnerabilidade e o risco social. “Estamos abertos para toda a cidade, no entanto atendemos 16 bairros do nosso entorno. Devido ao fato de que as crianças são trazidas pelos pais. Dos bairros distantes fica mais difícil, pelo fato da locomoção”, adverte.
   A Presidente ressalta que a Casa é uma organização não governamental. Ela sobrevive através de diversos projetos que são realizados na Secretaria do Esporte, COMDICA, Ministério da Cultura, Receita Federal, Parceiros Voluntários, Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social entre outros e a busca incessante por parcerias. “O problema é que os projetos duram oito meses. Temos que estar sempre pensando no futuro”, alerta.
   A Anjos Voluntários necessita de patrocinadores, pois não possui patrocinadores continuados. “Possuímos voluntários, mas em alguns casos precisamos contratar profissionais depois que acaba o projeto, do contrário perdemos este profissional. Voluntários, doações de alimentos, roupas e brinquedos em bom estado são sempre bem-vindos”, ressalta.
   A Casa Anjos Voluntários funciona de segundas à sexta-feiras, das 7h30min às 17h30min. Localizada na Rua Benjamin Custódio de Oliveira, 152, no bairro Planalto Rio Branco, telefone 3027 7720.

                                                                                                            Foto Acervo Casa Anjos Voluntários
Foto abrigo, tia chica ou coral, vou ver qual ela vai me mandar


Leia Mais ...

Projeto de revitalização da Estação Férrea deve ficar pronto em fevereiro

0 comentários
O projeto que prevê melhorias nas imediações do Largo da Estação Férrea está em desenvolvimento e a expectativa é que fique pronto no segundo mês de 2015.

   De acordo com o secretário da Receita Municipal, Paulo Dahmer, conforme ele já antecipou à Gazeta ainda em novembro, a revitalização da Estação está dividida em três partes, e este trecho é o último a ser executado.
   Ele conta que as melhorias incluem a construção de calçadas no entorno dos trilhos, solução dos problemas de drenagem e implementação da estrutura de iluminação.
Dahmer ressalta que o assunto vem sendo debatido com a comunidade, e recentemente foi realizada uma reunião com os proprietários dos bares e restaurantes das imediações.
   Estiveram presentes no encontro a secretária da Cultura, Rubia Frizzo, o secretário da Receita Municipal, Paulo Dahmer, e o arquiteto da Secretaria de Planejamento (SEPLAN), Juarez Marchioro.
A comunidade esteve representada por meio do diretor da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG), Felipe de Vargas, da Associação Amigos do Largo da Estação, pela artesã Ali Chaves e pelos empresários Alexandre Fasoli, Cesar Casara, Eloisa Tondo e Marli Trentin.
   O próximo encontro já está marcado para fevereiro, onde será apresentado o projeto final com o estudo financeiro para a revitalização.

                                                                                                                        Foto Luiz Chaves, divulgação
Área da Viação Férrea passará por grande revitalização
Leia Mais ...

Sartori anuncia dez novos secretários estaduais

0 comentários
O governador eleito José Ivo Sartori (PMDB) anunciou dez novos nomes 
que vão compor o secretariado a partir de 2015.

   São eles: Ernani Polo (PP) para a Agricultura e Pecuária; Pedro Westphalen (PP) para Transportes e Mobilidade; Lucas Redecker (PSDB) para Minas e Energia; Vieira da Cunha (PDT) para Educação; Gérson Burmann (PDT) para Obras, Saneamento e Habitação; Miki Breier (PSB) para o Trabalho e de Desenvolvimento Social; Ana Pellini para Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; João Gabbardo (PMDB) para Saúde; César Faccioli para Justiça e dos Direitos Humanos; e Wantuir Jacini, para Segurança Pública.
   Durante a coletiva, Sartori lembrou a redução que vai haver no número de secretarias, que não deve ser superior a 21. Porém, admitiu que caso haja necessidade, reavaliações poderão ser feitas e reconhecidos possíveis equívocos, devidas alterações serão realizadas.
    Os titulares para as pastas de Planejamento; Cultura; Desenvolvimento Econômico; Administração; Turismo, Esporte e Lazer; e Desenvolvimento Rural devem ser anunciados até 31 de dezembro.
Além dos dez nomes confirmados na coletiva, já haviam sido anunciados Márcio Biolchi (PMDB) na Chefia da Casa Civil, Giovani Feltes (PMDB) na Secretaria da Fazenda e Carlos Búrigo (PMDB) na Secretaria-Geral de Governo.

                                                                                                     Foto Karine Viana, divulgação
Sartori já anunciou 13 secretários para o seu governo


Leia Mais ...

Câmara encerra 2014 devolvendo R$ 8 milhões ao Executivo

0 comentários
De um orçamento de R$ 29,517 milhões, o Legislativo devolverá ao Executivo R$ 8,017 milhões.  Neste ano, foi inaugurada a Casa de Leitura, Memória e Educação Legislativa

   O equilíbrio financeiro e a maior aproximação com a comunidade ganharam ênfase na prestação de contas da Câmara Municipal de Caxias do Sul aos veículos da imprensa local. O ato aconteceu na manhã desta quinta-feira (18/12), no plenário da Casa.
   O presidente do Legislativo caxiense, vereador Gustavo Toigo, informou que, nos próximos dias, a Câmara devolverá ao Executivo Municipal R$ 8,017 milhões, como sobra do orçamento deste ano, de R$ 29,517 milhões (os valores ainda poderão ser brevemente atualizados até o final do ano). De acordo com Toigo, a premissa de que o Parlamento é o ambiente onde se educa para a democracia permeou as atividades de 2014.
   Contou que, desde fevereiro até a inauguração, em outubro passado, a construção da Casa de Leitura, Memória e Educação Legislativa, hoje em funcionamento, no subsolo da Câmara, passou a materializar esse empenho. "Por meio da Missão Educativa para a Democracia e do Jovem Parlamentar, por exemplo, trouxemos alunos do Ensino Médio. Eles participaram de jornadas, conheceram o funcionamento do Legislativo e se apropriaram de conceitos do modelo democrático, interagindo com vereadores, servidores e palestrantes convidados", explicou.
   Toigo acrescentou que outros segmentos, incluindo aposentados, agricultores, educadores, entre outros, estiveram contemplados a partir de propostas diversas. Exemplificou a partir do Câmara Convida, do Visitas Legislativas, do Câmara Vai aos Bairros, do Câmara Encanta, do Vereador por um Dia. Novo Regimento Interno  a partir de fevereiro.
   O presidente também citou outras ações, como a contratação de empresa técnica terceirizada, para a TV Câmara Caxias (canal 16 da NET), a fim de viabilizar as atuais e as futuras transmissões, em rede aberta e no formato digital. Ressaltou a ampliação do sistema de videomonitoramento de segurança.

Novo Regimento Interno
 a partir de fevereiro

   Destacou que, após os trabalhos de uma comissão temporária especial, entre agosto de 2013 e abril de 2014, com o vereador Guila Sebben (PP) na presidência e Zoraido Silva (PTB) na relatoria, foi concluída a redação do novo Regimento Interno da Casa, que entrará em vigor a partir de 1º de fevereiro de 2015. Segundo ele, a versão atualizada dará maior dinâmica às atividades parlamentares.    De acordo com o presidente, a Câmara manteve o empenho das gestões anteriores, no sentido de ter uma estrutura enxuta.
   "As despesas continuam bem abaixo dos limites legais. O gasto com pessoal sobre a receita corrente líquida está em 1,21%, ante os 6% permitidos. Quanto ao limite de gastos totais sobre a receita, a Câmara encontra-se no patamar de 2,51%, sendo que o permitido fica na ordem de 5%", detalhou Toigo.
   Para o ano que vem, conforme a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2015, o Legislativo terá um orçamento de R$ 30,630 milhões. Ele ainda apresentou estatísticas do trabalho parlamentar de 2014. Foram 7,2 mil proposições apresentadas (projetos do Legislativo e do Executivo, indicações, moções, ofícios, pareceres, requerimentos, vetos, etc.).
   Houve a deliberação de 390 matérias deste ano e de anteriores. Entre outros eventos, aconteceram 132 sessões ordinárias, 11 extraordinárias, 21 tribunas livres agendadas, 30 audiências públicas, 46 reuniões abertas de comissões e 278 reuniões internas de comissões permanentes.

                                                                                                                                      Foto Luciane Modena
Gustavo Toigo divulgou os números para a imprensa 


Leia Mais ...

Deputado Vinicius recebe troféu de Arquiteto do ano

0 comentários
O arquiteto e deputado estadual Vinicius Ribeiro (PDT) foi escolhido Arquiteto e Urbanista do Ano, na categoria "Obra, ação ou trabalho destaque do ano". O Prêmio Arquiteto e Urbanista do Ano é uma promoção oficial do Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul (SAEGRS). 

   A indicação foi resultado do trabalho enquanto presidente da Comissão de Mobilidade Urbana, que colaborou na elaboração da Política Estadual da Mobilidade Urbana - PL 66/2013.
   "Esta condecoração me motiva a colocar em prática aquilo que aprendemos na academia. A Arquitetura vinculada à Mobilidade é a política pública mais moderna para exercer a democracia nos espaços públicos e qualificar a educação do nosso povo gaúcho", destaca.
    A entrega dos troféus e cerimônia oficial de premiação ocorreu em Porto Alegre. Vinicius não compareceu à premiação por estar em deslocamento aos Estados Unidos. A convite da Universidade de Oklahoma, Vinicius vai fortalecer o relacionamento na área do planejamento regional com o INCOG (Indian Nations Council of Governments), que é o órgão de planejamento regional, além de conversar com especialistas da universidade de Oklahoma em Tulsa.

                                                                                                                     Foto Aline Zanotto
Vinicius recebeu o prêmio de Arquiteto do ano  


Leia Mais ...

“O Massa Crítica veio para cobrar do poder público nossos direitos”

0 comentários
Reivindicando por ciclovias junto à prefeitura que possibilitem o uso de bicicleta de um modo seguro e recrutando novos adeptos, este é o objetivo do Massa Crítica.

   Ele foi criado para lutar por condições mais seguras e dignas para se pedalar em Caxias. Conscientizar motoristas e ciclistas, mostrando que é possível ambos conviverem em harmonia. Luciano Pacheco, 40, motorista e idealizador do Massa Crítica é usuário diário da bicicleta. Ele ressalta que faz todos os dias o trajeto de sua casa, no bairro Santa Catarina até as proximidades do estádio Alfredo Jaconi, onde trabalha.
   “O Massa Crítica veio para cobrar dos órgãos públicos nossos direitos”. Luciano salienta que no primeiro encontro do Massa, foram reunidos 10 ciclistas. No segundo este número saltou para 80 e desde então só vem aumentando. Tendo uma baixa na época de inverno. “Em média temos um bom número de participantes, variando em torno de 150 ciclistas, mas já chegamos a mais de 300”.
   As edições do Massa Crítica acontecem sempre na última sexta-feira de cada mês. Tendo como ponto de encontro o pátio da prefeitura às 19h30min. Ele informa que o percurso traçado depende muito das condições do tempo, mas que geralmente é de 15 a 20 km, pelas ruas centrais da cidade.
“Fazemos um percurso urbano, com velocidade controlada, para que não haja dispersão, e se mantenha unido o grupo de ciclistas”, diz. Pacheco afirma que a proposta do movimento, não é um passeio, e sim um protesto. Não tendo donos, nem líderes. “Somos pessoas que defendem o seu direito de uso da via, baseado no que estabelece o código de trânsito”.
   O idealizador do movimento revela que os eventos são realizados sem o acompanhamento da fiscalização de trânsito. “De acordo com o que a lei estabelece teríamos de ter este acompanhamento, tanto para nos auxiliar como também para colaborar na educação dos motoristas. Eles não nos acompanham porque acreditam que este é um evento de um grupo de pessoas, quando na verdade é um protesto, sendo então negligenciado pela Secretaria de Trânsito,” afirma.
   Conforme o secretário de Trânsito, Manoel Marrachinho o relato citado acima não confere. “Eles não têm o apoio da fiscalização simplesmente porque eles não pedem. Sendo feita a solicitação, eles terão o acompanhamento da fiscalização, como todos os outros movimentos que acontecem na cidade”, afirma. O secretário salienta que o pedido deve ser feito com uma semana de antecedência para que se possa avaliar o trajeto que o grupo irá percorrer e assim designar a equipe que acompanhará os ciclistas.

“Sabemos que o prefeito  
   é contra a nossa causa” 

   Luciano Pacheco relata que seguidamente o grupo tem de barrar a aproximação de alguns motoristas, que acabam se aproximando demais, existindo muita desatenção dos motoristas, ou desrespeito em relação aos ciclistas. “Infelizmente, são problemas corriqueiros para quem anda de bicicleta pelas ruas de Caxias”, lembra.
   Mesmo com todas as adversidades, os eventos do Massa Crítica são uma maneira de mostrar que é possível a convivência pacífica entre carros e ciclistas em uma mesma via. Mas para que isso venha se tornar uma realidade de fato, precisamos que as autoridades municipais cumpram o que a lei estabelece, enfatiza o organizador do Massa Crítica.
   “Desde o início do movimento, já tivemos muitas melhoras, mas ainda está muito aquém das condições dignas e seguras para se andar de bicicleta, que tanto desejamos. Realçando que temos como base o Código Nacional de Trânsito e o Plano Nacional de Mobilidade”, observa.
   O ciclista frisa que nestes quase quatro anos de protesto pacífico, houve apenas um incidente que ocorreu no evento de outubro. “Um motorista se aproximou demais e acabou me derrubando. Foram apenas ferimentos leves”. Servindo de aviso para caso não seja respeitada a distância mínima que deve existir entre carros e ciclistas que é de 1,5m de acordo com o art. 201 do Código de Trânsito.
   Com o objetivo de dar apoio aos iniciantes, trazendo cada vez mais pessoas para andar de bicicleta, e incentivando o uso desse veículo como meio de transporte, o Massa Crítica quer apenas que o poder público cumpra com sua obrigação. “Queremos exercer com segurança o direito que temos de uso da via”, diz. Luciano ressalta que o relacionamento do Massa Crítica para com os órgãos públicos municipais são muito divergentes, como já ficou constatado no depoimento do Secretário de Trânsito.
   Ele destaca que o grupo já esteve duas vezes no gabinete do prefeito, na secretaria de trânsito. No entanto não obtiveram nenhuma resposta. “Entregamos um projeto de lei para a implantação de ciclovias na cidade. Percorremos todos os meios e etapas burocráticas, tudo que precisava ser feito, nós já cumprimos. Só que o prefeito continua se omitindo, não toca no assunto, não nos dá uma posição, embora saibamos que ele é contra a nossa causa,” desabafa Luciano.
   O ciclista ressalta que tudo que a prefeitura está oferecendo até o momento são espaços para o lazer e não espaços para o uso da bicicleta como transporte alternativo. Citando como exemplo a ciclovia da Atílio Andreazza, que segundo ele não pode ser considerada como tal, primeiramente pelo seu desnível, sendo muito acidentada e também em razão de ser uma via de tráfego de animais. E a extinta ciclovia da perimetral.
   “Esta não deixa nenhuma saudade. Era um local totalmente inadequado. Visto que os carros circulam naquela via em alta velocidade e também, seguidamente, não respeitavam a sinalização”, denuncia. Luciano relembra que o Massa Crítica surgiu em San Francisco nos EUA há 22 anos, com o objetivo de retomar o espaço público. A divulgação se deu através do boca-a-boca, se expandindo por todo o mundo. Em Caxias o movimento chegou em março de 2011, tendo como fator determinante o atropelamento de ciclistas em Porto Alegre, ocorrido no mês anterior. Para quem quer andar de bicicleta o ideal é que se utilize capacete e sinalizador. Salientando que o ciclista tem de respeitar todas as regras de trânsito. E que utilize apenas uma via, para não obstruir o tráfego de veículos. Para quem quiser mais informações sobre o Massa Crítica, pode acessar o blog bicicletanaopolui.blogspot.com, ou na página do facebook Massa Crítica Caxias do Sul.




Leia Mais ...

Imagem da semana 1049

0 comentários

                                                                                Foto Ícaro de Campos, divulgação
   Analice Carrer á a primeira mulher a assumir a presidência da nova diretoria da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Caxias do Sul (CDL). O evento, que contou com o lançamento do ano comemorativo aos 50 anos da CDL, ocorreu no Hotel Samuara. O prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) homenageou Analice com a Medalha Monumento Nacional ao Imigrante por ela ser a primeira mulher a assumir o cargo de presidente da CDL. “Analice é uma guerreira como são todas as mulheres. Chega a esta posição de forma justa e merecida, honrando aqueles que tiveram a sensatez de conduzi-la a este posto”, disse.



Leia Mais ...

Artigo 1049

0 comentários
Trânsito do bem  

Pedro Cardoso da Costa - Advogado

   Quando não se conhece algo, e isso nos traz uma preocupação, somente as coisas negativas são ressaltadas. Dirigir um automóvel sempre fez parte dos meus desejos de realização, assim como sempre foi destacado por mim. Nunca me imaginei dirigindo.
   Depois de quase dois anos de acompanhamento psicológico, este ano de 2014, enfim, passei a ser mais um dos motoristas brasileiros a conviver com os problemas inerentes, antes imperceptíveis.
   Durante o longo período de inatividade só foram acumulados os malefícios dessa atividade, pois, para mim, sair com um carro era como se me preparasse para entrar numa guerra. Não era um medo tão injustificado assim.
   No Brasil, mata-se mais no trânsito do que em qualquer guerra declarada no mundo. Se o número de mortes é grande, o de feridos é incalculável. Sem retirar nenhuma das restrições, na rua existe colaboração entre as pessoas, e não só a tragédia imaginada. As pessoas colaboram mais do que a gente percebe quando não faz parte dessa loucura de dirigir.
   A mania de levar vantagem indevida em tudo está muito presente nas atitudes dos brasileiros em geral. Com os motoristas não poderia ser diferente e talvez isso seja uma das maiores causas dos acidentes.
   O sinal amarelo serve para avisar que a velocidade deve ser reduzida para abrir passagem ao outro lado. Aqui é quase unanimidade a aceleração automática do carro para alcançá-lo no início do vermelho. Tanto que é comum o congestionamento aumentar devido ao bloqueio dos cruzamentos. Não há quem goste de ser acossado por outro, mas existem ultrapassagens feitas em momentos emergenciais.
   Quando um motorista pede passagem, a tendência do outro é encarar isso como uma afronta, um desaforo, uma provocação e aí vem a grosseria, o revide, em lugar de cortesia ou colaboração. Também há o vício de se encarar o trânsito como uma disputa automobilística, como afirmação de superioridade. Isso se constata pela diferença do tratamento privilegiado dado a quem tem carrões daqueles que têm carros simples ou verdadeiras “latas-velhas”. Como todos os demais segmentos, o trânsito é reflexo do comportamento e da cultura de cada sociedade. Mas, sem dúvida, há demonstração de solidariedade a todo instante nesse universo até então desconhecido para mim.
   Ainda é preciso que as pessoas agradeçam mais quando recebem apoio, já que não é habitual; um farol, uma buzinada, um aceno qualquer. E se cada novo motorista se autovigiar para não adquirir o hábito da pressa, um passo importante será dado para diminuir essa carnífice que teima em não arrefecer. Parece contraditório ou uma dicotomia extrema. Ou não? Como diria um famoso baiano.



Leia Mais ...

Mais entidades endossam o pedido de investigação ao MP e à Polícia Federal

0 comentários
  Até o final da tarde do dia 17 outras oito entidades se manifestaram favoráveis à petição organizada pelo Instituto Orbis para que a Polícia Federal e o Ministério Público investigue as irregularidades na aprovação do loteamento de luxo no Complexo Samuara. 

   O projeto foi aprovado no último dia 10 de dezembro pela Câmara Municipal de Caxias do Sul, sem parecer técnico de entidades ligadas à arquitetura/urbanismo e meio ambiente, e sancionado rapidamente pelo prefeito Municipal.
   A petição feita pela internet foi entregue no dia 18 de dezembro com mais de 1.400 assinaturas acompanhada de um parecer do Instituto Orbis. Novos apoios são aguardados.
Entidades Apoiadoras:
   Instituto Orbis - SEAAQ - Sociedade de Engenharia, Agronomia e Arquitetura; DAAU – Diretório Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo/UCS; CEPDH - Centro de Estudos, Pesquisa e Direitos Humanos; ACREDISOL - Associação de Microcrédito Popular e Solidário
Conselho das Árvores; DAAU – Diretorio Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo /UCS; Diretorio Acadêmico da Biologia – UCS;Eco Caxias Associação dos Moradores do Panazzolo.

Leia Mais ...

Web Designer Caxias

Facebook