segunda-feira, 2 de março de 2015

GAUCHÃO

0 comentários
 De virada, Juventude faz três e 
  vence mais uma no Gauchão

Texto: Assessoria de Imprensa Juventude

   Maturidade, persistência e qualidade. Estes foram os pilares que sustentaram a vitória do Juventude na tarde deste domingo, no Jaconi, diante do Lajeadense. De virada, o Verdão aplicou 3 a 1, emplacou a quinta partida consecutiva de invencibilidade e ingressou no G-4. Rogerinho, Douglas e Lucas garantiram o resultado, enquanto Ramon marcou para o Lajeadense.
    A partida começou com domínio alviverde. Criando as melhores oportunidades, foi o Juventude quem assustou primeiro. Logo a 2 minutos, Wallacer chutou firme, de fora da área, à direita de Luiz Muller. Aos 13, Helder cruzou para Zulu, que escorou para Douglas. O atacante chutou forte, a zaga afastou e no rebote, Wallacer chutou para fora. Com 18 minutos, Quaresma recebeu o segundo amarelo e deixou o Lajeadense com um jogador a menos.
    Aos 24, Itaqui chutou cruzado de fora da área e quase marcou um golaço. Tentando pressionar, o Juventude sofreu um contra golpe aos 35, com Ramon, que passou por dois marcadores e chutou forte, sem chances para Airton. 0 x 1.
   Na volta do intervalo, Picoli promoveu a entrada de Rogerinho e Lucas na equipe. Todo no campo de ataque do adversário, o Juventude continuou criando oportunidades e rondou a área do Lajeadense por todo o tempo. Aos 23, Helder fez excelente cruzamento e encontrou Rogerinho, que cabeceou no contrapé do goleiro. 1 x 1.
    Jogando em casa e embalado pela torcida, o time alviverde mostrou o poder que tem no Jaconi. Aos 37, Rogerinho foi quem cruzou e Douglas desviou de cabeça, no canto esquerdo de Muller. 2 x 1. O terceiro gol aconteceu aos 44. Lucas recebeu na intermediária e soltou uma bomba que surpreendeu Luiz Muller. Um golaço! 3 x 1 para o Verdão, festa da massa Jaconera e a certeza de que a franca evolução da equipe tem trazido grandes resultados. Uma vitória do grupo, para a torcida!
    “Esta é mais uma vitória do grupo. Fomos obrigados a fazer algumas alterações antes e durante a partida e todos que entraram deram conta do recado e corresponderam, como Diogo, Dema, Rogerinho, Douglas e Lucas, atletas que inclusive vinham com pouco tempo de jogo. Agora, vamos aproveitar a semana de trabalho e focar no grande jogo de domingo. Vamos seguir ajustando aqueles detalhes que precisamos sobre o sistema de jogo”, destacou o técnico Picoli, ao final da partida.
    O treinador, inclusive, parabenizou a torcida por mais uma bela festa no Jaconi. “Tem um grito em especial que eu percebo que está voltando ao Jaconi, que é o ‘Vamo Jaconero’. Isso realmente motiva a mim e ao grupo, e me remete aos melhores momentos aqui dentro da nossa casa. Queremos continuar com a torcida ao nosso lado e vamos trabalhar e brigar muito para isso.”
    Com a vitória, o Verdão assume a vice-liderança da competição, agora com 14 pontos, mesma pontuação do líder, São José. O próximo compromisso é novamente no Jaconi, no próximo domingo, diante do Internacional. A partida está marcada para as 16h.

                                                                                                                 Foto Arthur Dallegrave, divulgação
Time de Picoli está a cinco jogos invicto no Gauchão 


S.E.R. Caxias sofre nova derrota no Estadual

Texto: Assessoria de Imprensa S.E.R Caxias

   Atuando na tarde de domingo (1º) em Santa Cruz do Sul, a S.E.R. Caxias foi superada pelo Avenida pelo placar de 1 a 0. O gol da partida saiu aos 21 minutos do primeiro tempo com Paulinho Simionato. A equipe grená agora volta suas atenções para enfrentar o Capivariano na próxima quarta-feira (4), às 19h30 no interior de São Paulo, pela Copa do Brasil.
   O jogo começou com o Caxias melhor em campo. Logo aos três minutos a primeira chance grená, com o estreante Vanderlei. O atacante recebeu na área, driblou a marcação e bateu forte para defesa do goleiro. Aos 17, Rafael Carioca tabelou e invadiu a área chutando perto da meta de Alexandre Villa.
   Mesmo com mais volume de jogo foi o Avenida que abriu o placar. Aos 21, Paulinho Simionato aproveitou cobrança de escanteio do lado esquerdo e desviou para o gol. A última tentativa da primeira etapa foi grená, com Reinaldo que girou sobre o marcador e concluiu para fora.
    Na etapa complementar o Caxias seguiu tendo mais posse de bola. O time de Paulo Turra encontrou um adversário bem posicionado que tirou os espaços. Mesmo com as dificuldades, o Caxias criou boas oportunidades, com Reinaldo e Vanderlei. Ainda antes do apito final, Paulinho Simionato acertou o travessão de Renan.
   O Caxias segue fora da zona de classificação para a próxima fase. O time grená soma oito pontos em oito jogos disputados. O próximo compromisso pelo Gauchão será no sábado (7) na Arena diante do Grêmio, em Porto Alegre.

                                                                                                                         Foto Rafael Tomé, divulgação
Após nova derrota, time Grená vai tentar buscar a recuperação diante do Grêmio na Arena. 


Gre-Nal no Beira-Rio fica no empate sem gols

Com o resultado do clássico time gremista ficou no limite do grupo que se classifica para a próxima fase, está com 11 pontos na 8° colocação. Já o Internacional ocupa a 4° posição com pontos 13 pontos. 

     O Gre-Nal 404 na tarde de ontem no Beira-Rio fez história. Não pela partida que terminou 0 a 0, mas pela torcida mista que proporcionou que gremistas e coloradas em um setor do estádio acompanhassem ao clássico juntos. A iniciativa que partiu da direção colorada permitia que mil torcedores colorados convidassem mil torcedores gremistas, pagando o valor de apenas um ingresso.
    Na próxima semana a dupla Gre-Nal enfrenta a dupla Ca-Ju. O Grêmio joga com o Caxias na Arena, às 18h30min de sábado. Enquanto o Inter vem a Caxias do Sul enfrentar o Juventude no Estádio Alfredo Jaconi no domingo, às 16h.
O time misto colorado começou melhor no jogo, empurrando o Grêmio para seu campo de defesa.       Aos 13, em cruzamento de Cláudio Winck por pouco que Nilmar não acertou o cabeceio. Aos 30, Valdívia cobrou escanteio pela esquerda e tentou mandar direto para o gol. Marcelo Grohe evitou o gol olímpico.
  Logo depois o time gremista chegou com Yuri Mamute que saiu jogando. O atacante deu o primeiro chute a gol gremista. A partir disso, o jogo virou de lado. Foi o Grêmio que começou a atacar. Em contra ataque Tricolor Lincoln recebeu na frente e Alisson salvou o Inter. Logo depois, o goleiro colorado voltou a levar a melhor em nova finalização do jogador gremista. No fim da etapa Yuri Mamute em jogada individual pela esquerda chutou perto da trave esquerda de Alisson.
   No intervalo as duas equipem mudaram. O Grêmio tirou um volante e colocou um meia. Araújo deu lugar a Giuliano. Já no inter, Valdívia saiu para entrada de Vitinho
   O segundo tempo iniciou como o primeiro. O Inter começou criando as melhores oportunidades. Logo aos dois minutos, Alex cobrou falta com perigo por cima do gol. Nos 24, Nico Freitas recebeu passe de Anderson e chutou a direita de Grohe.
   A melhor chance gremista na etapa final foi quando Douglas cruzou da esquerda e Juan na tentativa de afastar quase mandou contra o próprio patrimônio.
   No fim do jogo foi o Internacional que pressionou. Após cobrança de escanteio Marcelo Grohe salvou em cabeceio de Rodrigo Dourado.

Sábado 
Veranópolis 2 x 0 Novo Hamburgo
Ontem
Juventude 3 x 1 Lajeadense
União Frederiquense 1 x 1 São Paulo
Passo Fundo 2 x 1 Cruzeiro
Avenida 1 x 0 Caxias
Inter 0 x 0 Grêmio
Amanhã
20h
Aimoré x São José
Quinta-feira
20h30min
Brail-Pe x Ypiranga

9° rodada
Sábado
18h30min
Grêmio x Caxias
19h30min
Lajeadense x Novo Hamburgo
Domingo
16h
Juventude x Inter
17h
Cruzeiro x São Paulo
Aimoré x Veranópolis
Avenida x Passo Fundo
Brasil-Pe x União Frederiquense
18h
São José x Ypiranga

Leia Mais ...

domingo, 1 de março de 2015

Poluição sonora novamente em debate

0 comentários
Medida pode ampliar proibição de publicidade sonora em Caxias do Sul. 

   Uma proposta do Vereador Renato Nunes (PRB) visa ampliar a proibição de alto-falantes e aparelhos eletrônicos para uso da publicidade sonora em veículos em Caxias do Sul. Atualmente a Lei proíbe no quadrilátero central entre as ruas Tronca, Teixeira Mendes, Ernesto Alves e Angelina Michielon. A proposta prevê que a medida seja ampliada para toda a área do Município.
   A ampliação já foi protocolada e está aguardando para entrar em votação. Renato Nunes afirma que apresentou a proposta devido às muitas reclamações de poluição sonora que tem escutado nos bairros da cidade.
   O Vereador fala que não quer prejudicar ninguém. “Aceito conversar para eventuais mudanças do Projeto.”, afirma. Segundo ele, se os seus colegas vereadores estiverem em sintonia com o clamor popular a ampliação deve ser aprovada.
   Caso isso ocorra será revogada a Lei 7.404 de 2011 que permite que fora do quadrilátero, a publicidade sonora em veículos automotores é permitida, desde que as empresas sejam cadastradas, tenham a licença e respeitem os limites de decibéis. Se a medida não for respeitada os responsáveis podem levar multa e ter a licença caçada.
   Segundo o Secretário do Meio Ambiente, Adivandro Rech, os ruídos acima dos limites permitidos ficam difíceis de serem pegos em flagrante, por serem móveis há o deslocamento até a chegada da fiscalização. “Mas não é que a fiscalização não atue, ela vai a todas as denúncias.”, reitera o Secretário.
56 processos de denúncias
de poluição sonora em 2014
   Outro agravante que dificulta o processo é que nesses casos os demais ruídos do entorno também são registrados pelo aparelho e pode haver intervenções e alterações nas medidas. A Secretaria do Meio Ambiente possui dois aparelhos. No ano passado houve 56 processos de denúncias de poluição sonora. Em 2015 até o dia 25 de fevereiro são 14.
   Foram 33 autuações no ano passado e quatro até fevereiro. Até o dia 25 deste mês foram cinco notificações de propaganda sonora em 2015.

   Para Adivandro, a Câmara de Vereadores tem a legitimidade e a competência jurídica para tratar do assunto e principalmente para discutir os prós e contras. Segundo ele, para a Secretaria facilitaria a fiscalização, já que não seria necessário realizar a medidas nestes casos, pois além de pegar em flagrante o veículo cometendo a infração é necessária a medição da área, o que dificulta devido a outros sons, já que o decibelímetro não individualiza os ruídos, mas soma. Contudo o titular da pasta ressalta que a questão econômica também deve ser analisada.
   Já as denúncias da poluição sonora fixa, que têm as maiores queixas em algumas indústrias, casas noturnas e bares que ultrapassam os limites dos decibéis previstos na Lei, podem ser feita pelo Alô, Caxias – 156 – ou protocolada na Secretaria do Meio Ambiente na Avenida Ruben Bento Alves, 8308, bairro Cinquentenário.
   Para que a medição dos decibéis seja aceita juridicamente a denúncia não pode ser feita anonimamente, sendo feita da propriedade do denunciante. A medição é feita durante um período, por mais de uma vez, com a identificação de outras situações que possam contribuir com o barulho, no horário indicado pelo denunciante. Os autuados podem apresentar defesa administrativa.
   Caso o excesso seja identificado o estabelecimento é multado e notificado para que em determinado prazo apresente as alterações necessárias. Este prazo depende das melhorias que devem ser realizadas.
   A fiscalização volta ao local para novas medições e verificação das mudanças realizadas. O Secretário fala que nas muitas denúncias, principalmente em relação à indústria, as alterações necessárias para reduzir o barulho são feitas dentro do prazo.
   A Guarda Municipal participa em algumas situações com apoio à segurança dos servidores, mas nem todas as situações são consideradas de competência da Secretaria de Meio Ambiente. A fiscalização sobre emissão de ruídos sonoros provenientes de aparelhos de som instalados em veículos automotores, estacionados ou em movimento, ficam a cargo da Brigada Militar e Fiscalização de Trânsito.
   De acordo com a Lei Municipal 7.805 de 2014 a multa é de 50 VRMs (Valor de Referência Municipal), dobra em reincidência e pode quadriplicar em segunda reincidência. O valor do VRM em 2015 é de R$26,56.
   De acordo com o responsável pela gerência de fiscalização da Secretária do Meio Ambiente, Marcelo Lissot, caso ocorra em propriedade privada, o caso volta para fiscalização da Secretaria, com o setor privado também podendo responder pela falta de cumprimento da Lei.
Foto Adivandro (Foto Diego Pereira)
 Para Adivandro a Câmara de Vereadores tem a legitimidade e 
a competência jurídica para tratar do assunto


   Quadro
Lei Completar Municipal 376/10 – artigo 50:
Zona residencial: limite de emissão em decibéis: 60 durante o dia e 55 durante a noite.
Zona industrial: limite de emissão em decibéis: 70 durante o dia e 60 durante a noite.
Observação: Se a medição for realizada em ambiente interno (residência do denunciante) observar a correção dos valores acima da seguinte forma:
Menos 10 decibéis para medição com janela aberta
Menos 15 decibéis para medição com janela fechada.
   O horário noturno é considerado das 19h até as 7h do dia seguinte. Nos domingos e feriados considera-se noturno o período das 20h até as 8h.
   O descumprimento dos limites previstos pode acarretar em multa de 90 a 3.000 VRMs. A Semma sempre emite autos de infração quando constata emissão de ruídos acima do permitido, com advertência, cobrando um projeto de isolamento acústico que traga os ruídos para os limites permitidos.

Leia Mais ...

11 mil refeições servidas diariamente através do Programa Prato Limpo

0 comentários
   Em toda rede pública municipal são servidas 59 mil refeições por dia.

                                                                                         Foto Andressa Boff, divulgação
 Programa Prato Limpo foi implantado 2006 e foi ampliado

   São 13 o número de escolas da rede pública municipal do ensino fundamental que participam do Programa Prato limpo em Caxias do Sul. Coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (SMED) ele oferece café da manhã, antes do início da aula, e almoço no último período para os alunos do turno da manhã. Também antes do sinal inicial, almoço, e antes do fim da aula, café da tarde, são oferecidos para os alunos do turno da tarde.
   Uma das responsáveis pelo Programa Prato Limpo, a nutricionista da Secretaria Municipal de Educação, Andreia Biondo, fala que o objetivo do programa é estar suprindo a necessidade nutricional dos alunos durante o período que permanecem na escola com foco nas refeições no seu horário adequado. “Café da manhã no horário que as pessoas normalmente tomam café da manhã e o almoço próximo ao meio dia”, explica.
   Aos todo a SMED atende 86 Escolas de Ensino Fundamental e 40 de Educação infantil em Caxias do Sul. São quatro nutricionistas na pasta, duas responsáveis pelo ensino fundamental, uma pelo ensino infantil e outra pela gerência de alimentação escolar.
   O Programa, direcionado ao ensino fundamental, vem sendo ampliado ano a ano, quanto teve início em 2006 eram quatro escolas participantes. São atendidos nas 13 escolas em torno de 5.500 alunos com um total de 11 mil refeições servidas diariamente. No café da manhã é sempre oferecido um alimento lácteo, leite ou iogurte; sucos; um farináceo, como biscoito, ou pães e bolos e mais uma fruta. O lanche da manhã é o mesmo da tarde.
   No almoço há saladas ou frutas, um carboidrato e mais um tipo de carne. De duas a três vezes por semana com uma leguminosa, feijão ou lentilha.
   Em todas as escolas da rede municipal de ensino, entre educação fundamental e infantil, diariamente o Município serve 59 mil refeições.

A escola deve demonstrar
interesse pelo Programa

   A escolha das escolas participantes do Programa Prato Limpo começa inicialmente pela demanda da comunidade escolar, a escola deve demonstrar interesse em ter o Prato Limpo. Deste modo deve entrar em contato com a Secretaria que avalia as condições, pois para participar é necessário ter um espaço físico adequado.
   A cozinha não pode ser tão pequena, pois a demanda de refeições é maior. Além disso, um requisito do Programa é os alunos se servirem no Buffet, funcionando no serviço de self-sevice, com os estudantes tendo a autonomia de montar o seu próprio prato. Não é em qualquer espaço que há a possibilidade de instalação do Buffet. A cada inauguração do Programa Prato Limpo nas escolas a SMED fornece todos os equipamentos necessários para o seu funcionamento.
   Uma obrigatoriedade do Programa é que os alunos se alimentem usando garfo e faca e não a colher. Algo que está sendo ampliado para todas as escolas do Município, por uma questão de desenvolvimento e adequação ao hábito. Em Caxias, no ensino fundamental há duas escolas de turno integral, a Escola Engenheiro Mansueto Serafini, no bairro Pôr do Sol, e a Escola Governador Leonel Brizola, que atende os estudantes do Loteamento Campos da Serra, mas que atualmente ocupa um espaço na Universidade de Caxias do Sul.
   Como os alunos permanecem na escola durante todo o dia, o programa de alimentação Turno Integral é semelhante ao Prato Limpo com café da manhã, uma fruta de lanche no meio da manhã, almoço e lanche da tarde.  Não há previsão para ingresso de novas escolas no Programa Prato Limpo este ano. Mas futuramente a intenção é ampliá-lo e da mesma forma também as escolas com turno integral. “Nosso objetivo é que todas as escolas tivessem as refeições neste formato, ou Prato Limpo, ou Turno Integral.”, afirma Biondo.
   As quatro nutricionistas organizam o cardápio das 126 escolas, planejam a quantidade necessária de alimentos, elaboram os editais para compra dos alimentos e acompanham os andamentos dos processos. Tudo que está relacionado à alimentação escolar é organizado pelo setor. Há também acompanhamento de visitas nutricionais nas instituições de educação, acompanhando o andamento das refeições na escola. Os cardápios para o segundo semestre de 2015 já estão sendo planejados.
   Os alimentos pouco perecíveis são recebidos no setor de alimentação escolar no bairro Cruzeiro na Rua Luiz Michielon, 1495. Depois é organizada a distribuição deles para as escolas. Já Carnes, vegetais e pães, por exemplo, são entregues diretamente em cada instituição.
   As demais escolas não participantes do Programa Prato Limpo e Turno Integral seguem um cardápio padrão de acordo com a legislação, servidos no meio do turno de aula. Composto por dois lanches durante a semana e três cardápios de pratos quentes, parecido com almoço do Prato Limpo.
   Os cardápios são definidos pela equipe semestralmente. São seis no total: o padrão, para as escolas não participantes dos programas, o Prato Limpo, para o turno Integral, de Educação Infantil, da EJA e das escolas do meio Rural.
   São atendidas 10 escolas do meio rural do interior do Município, multisseriadas, com poucos alunos em cada uma delas, não contam com merendeiras. A própria professora ou coordenadora é quem prepara o lanche, que exige o mínimo de manipulação antes da distribuição aos alunos, como pães e bolos que vão prontos para a escola. O número de alunos varia de sete a 40 em cada escola.
   No ano passado 1.227,5 toneladas de alimentos foram adquiridas em todo o Programa de Alimentação escolar em Caxias do Sul. Alguns alimentos orgânicos também são enviados às escolas que também recebem alimentos integrais.


                                                                                                                      Foto Diego Pereira
 A nutricionista Andreia Biondo fala que um dos objetivos do
 Programa Prato Limpo são as refeições nos horários adequados 

Escolas participantes
EMEF Atiliano Pinguelo - Bairro de Zorzi
EMEF Dezenove de Abril - Bairro Cidade Industrial
EMEF Dolaimes Stédile Angeli – CAIC - Bairro Centenário II
EMEF Governador Roberto Silveira - Bairro Rio Branco
EMEF Machado de Assis - Bairro Reolon
EMEF Profª Marianinha de Queiroz - Bairro São Cristóvão
EMEF Ruben Bento Alves – Bairro Villa Ipê
EMEF Santa Lúcia - Distrito de Santa Lúcia do Piaí
EMEF São Vicente de Paulo – São Vicente
EMEF Senador Teotônio Vilela - Bairro N.Sª das Graças
EMEF Vereador Marcial Pisoni - Bairro Vila Leon
EMEF Villa Lobos – Bairro Vila Lobos
EMEF Zélia Rodrigues Furtado - Bairro Parque Oásis



Leia Mais ...

sábado, 28 de fevereiro de 2015

“Pacote de bondade” de Eduardo Cunha dá passagens até para mulher de deputado

0 comentários
   Reajuste inclui ainda verba de gabinete, auxílio-moradia, gastos com passagens. 

   Para o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB), achando que todos os cidadãos brasileiros são trouxas, o impacto é nulo, mesmo que isto custe cerca de R$ 150 milhões anuais. Porque, segundo ele, haverá cortes em outras áreas.
   Não faltava mais nada para desmoralizar definitivamente a classe política e o Congresso Nacional. A decisão foi tomada no momento em que todos falam em cortes de custo diante da crise econômica que começa desgovernar o país, bastando ver a manifestação dos caminhoneiros em todo o Brasil.
   O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que assumiu o cargo com a visibilidade de ser o “moralizador” da política em Brasília, mostrou rapidamente suas garras. Ele apenas  comprovou de que o dinheiro público é propriedade privada dos políticos, não do povo brasileiro. E sem nenhum pudor, autorizou, no dia 25, aumento em todas as despesas com parlamentares, incluindo verba de gabinete, auxílio-moradia e cota parlamentar, que inclui gastos com passagens aéreas e conta telefônica.

Despesa extra chegará a
 quase R$ 150 milhões

   Seu “pacote de bondades” não parou por aí. Além do reajuste dos benefícios, esposas de deputados passarão a ter o direito de utilizar a cota de passagens aéreas dos deputados, desde que seja exclusivamente entre Brasília e o estado de origem. Como o reajuste será a partir de abril, neste ano representará impacto de cerca de R$ 110 milhões. No entanto, a partir de 2015, a despesa extra será da ordem de R$ 146,5 milhões  por ano.
   Cunha explicou que se trata de um reajuste inflacionário, mas que serão feitos cortes na mesma proporção para que o impacto seja “zero” nos cofres da Casa. “Aceitamos a correção da inflação mediante o corte de gastos. O efeito será nulo, zero de despesa”, afirmou. Segundo o presidente da Casa, os cortes serão feitos em atividades-meio, como contratos de informática e compra de equipamentos. “Faremos no tamanho da correção”, explicou.
   A verba de gabinete, usada para pagar funcionários, foi reajustada em 18,01% com base no IPCA desde julho de 2012, e passará de R$ 78 mil por mês para R$ 92 mil. Cada parlamentar pode contratar até 25 pessoas. O impacto anual será de R$ 129 milhões.
   A cota parlamentar destinada para o custeio de passagens aéreas e transporte será reajustada em 8%, o que representará um impacto adicional de 16,6 milhões por ano. O valor da cota varia conforme o estado de origem do deputado. O maior valor é pago a deputados de Roraima, hoje em R$ 41 mil por mês. O menor valor é dado a deputados do Distrito Federal, cerca de R$ 27 mil. O dinheiro também é usado para despesas com telefone e correio.
   Também foi autorizado que a verba seja usada para comprar passagem aérea para cônjuges, atendendo à reivindicação de mulheres de parlamentares. O recurso só poderá ser usado quando o itinerário for entre Brasília e o estado de origem. Além disso, a partir de abril, o auxílio-moradia passará de R$ 3.800 para R$ 4.243 por mês. Por ano, o impacto extra será de R$ 885 mil.

   Reajustes unificados

   Segundo Eduardo Cunha, as despesas da Casa passarão a ser reajustadas pelo IPCA e sempre na mesma época. Até então, eram usados índices diferentes e em datas diversas. “Vai ter a partir de agora uma única correção. Ou seja, nós fizemos a correção da inflação de todos os itens de despesa para ter uma unificação, porque eles têm períodos de reajuste diferenciados. Trouxemos pelo IPCA todos unificados para janeiro de 2015 e com a contrapartida do corte de gastos para não haver qualquer aumento de despesa”, explicou Cunha, com a maior cara de pau.

                                                                                       Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Eduardo Cunha mostra que só ficou no discurso moralizador

Leia Mais ...

Diálogo para encontrar alternativa à retirada das carrocinhas

0 comentários
Encontro  reuniu 80 pessoas, entre ambulantes, dirigentes 
empresariais, vereadores e representante da Prefeitura.

   Divergência de opiniões e promessas de diálogo para solucionar o imbróglio, a Câmara Municipal sediou Audiência Pública para tratar da retirada das carrocinhas nas vias públicas de Caxias do Sul quando não estiverem em horário de funcionamento.
   A reunião, promovida pela Comissão de Desenvolvimento Urbano, contou com a presença de ambulantes, dirigentes empresariais, vereadores e do secretário do Urbanismo, Fábio Vanin.
A retirada está prevista no Código de Posturas do Município, em artigo aprovado em 2010. O texto diz que as conhecidas carrocinhas de cachorros-quentes e de outros gêneros alimentícios não podem permanecer em vias públicas fora do horário de permissão para funcionamento.  A retirada é considerada inviável pelos ambulantes. O assunto entrará na pauta do Legislativo nas próximas semanas, após a apresentação de projeto de lei pela bancada do PT modificando o texto do Código de Posturas.
   “A Audiência Pública foi importante para discutir formas de encontrar uma solução que beneficie ambulantes, o comércio em geral e a comunidade de Caxias do Sul", disse o vereador Jaison Barbosa (PDT), presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano e responsável pela condução do encontro. O parlamentar destacou que a Comissão aguardará a tramitação do projeto do PT e se mostrou favorável, assim como outros vereadores, à alteração da legislação.
Por uma sistemática aprovada no início da Audiência Pública, o secretário de Urbanismo foi o primeiro a se manifestar. Fábio Vanin explicou que, quando assumiu a secretaria em 2013, iniciou um trabalho para adaptar diversas atividades à legislação. A fiscalização, segundo ele, atacou irregularidades em loteamentos, nas atividades de comércio de redes de praia, DVS e CD, no trabalho de artesãos e indígenas. Por fim, o foco foi o comércio de alimentos em via pública.
   Vanin garantiu que todo o processo é realizado de forma transparente. "Em todos os casos de remoção, houve o contraditório, todos tiveram o direito de entrar com recurso”, garantiu o secretário. "Enquanto estiver na frente da secretaria, vou cumprir a legislação, mas com diálogo e sem arbitrariedade".

 Sindilojas critica 
concorrência desleal

   Os vendedores ambulantes se manifestaram na sequência. José Antonio Oliveira, conhecido como "Tio da Tapioca", afirmou que não há como remover as carrocinhas nem lugar para colocá-las. Ele indicou que, sem mudança na legislação, o negócio se tornará inviável. Disse ainda que a Prefeitura tem interesse em modificar o serviço. "O que vai acontecer? O ambulante vai sair e vai entrar outro que tem condições de colocar um trailer", afirmou.
   Cleusa Lopes, com uma carrocinha na esquina da Rua Sinimbu com Garibaldi, também criticou a legislação. "Estamos discutindo as rodinhas, porque temos que deslocar uma estrutura pesada que não atrapalha de dia e atrapalha à noite", disse a ambulante, que acusou Vanin de falta de diálogo. Para ela, a estrutura da carrocinha é pesada e requer um guincho para sua remoção. "Sou gordinha e forte, graças a Deus, mas não tenho condições de movimentar a carrocinha".
   Representantes do Sindilojas e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), por sua vez, defenderam a retirada do comércio ambulante da cidade.  Saidi João Donazzolo, presidente do Sindilojas, criticou a concorrência desleal e defendeu o pagamento de impostos.  "Se por acaso o serviço continuar, o Sindilojas pede que haja uma padronização das casas, mas sem dinheiro público", disse Donazzolo.
   Os vereadores também se manifestaram sobre a questão. Rodrigo Beltrão (PT) cobrou apoio dos colegas para a aprovação do projeto de lei apresentado pela bancada do PT e sugeriu a definição de uma comissão para conversar com o prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT). O líder de governo, Pedro Incerti (PDT), declarou que o prefeito já sinalizou com o diálogo e disse que solução está sendo encaminhada.

                                                                                                                Foto Luiz Carlos Erbes, divulgação
Vendedores ambulantes se manifestaram contrários à proposta

Leia Mais ...

Aprovação da extensão da UFRGS entre Bento e Garibaldi provoca divergências

0 comentários
A decisão foi aprovada por 17 votos contra um. O voto contrário foi do vice-prefeito no exercício de prefeito de Caxias do Sul, Antonio Feldmann (PMDB). Ele defendeu a localização na região de Forqueta. O encontro realizado em Nova Pádua reuniu prefeitos, vice-prefeitos e secretários municipais que compõem a Associação.

                                                                                                                            Foto Diego Pereira
Feldmann foi o único voto contrário na reunião da AMESNE

   A Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (AMESNE) decidiu em encontro em Nova Pádua, por 17x1, que o campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na Região da Serra vai ser na localidade conhecida como Garibaldina, a 8 Km de Bento Gonçalves e 5Km  de Garibaldi.  O espaço foi oferecido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), e termina com indefinição de mais de dois anos entre os municípios da serra gaúcha. A área possui 24 hectares.
   O presidente da AMESNE, Aícaro Ferrari, destaca a proximidade do local com todas as cidades, cuja maior distância é o Vale do Taquari, localizado a cerca de 60km do futuro campus. O terreno está localizado em área nobre, a 5km de Garibaldi, 8km de Bento Gonçalves, 10km de Carlos Barbosa, 10km de Monte Belo do Sul, 35km de Farroupilha e 45 km de Caxias do Sul. Além disso, a área fica a 2km da interseção com a RS-453.
   Ele afirma que o próximo passo é agendar reunião com a reitoria da instituição e iniciar busca por recursos para implantação da universidade.
   Com a confirmação de local escolhido, há a consequente rejeição do projeto apresentado por Caxias do Sul, que sugeria espaço localizado no bairro Forqueta. Aícaro ainda destaca o fato de o terreno pertencer a um órgão da União, o que, portanto, deve facilitar a transferência entre os ministérios da agricultura e educação.
   Sem perspectiva de quando deve haver a instalação efetiva do campus, ele cita como exemplo a demora de quatro anos até conclusão e inauguração da extensão da UFRGS no Litoral Norte. Assim, acredita que o processo igualmente longo deve se estender em relação à Serra.

 “Não podíamos deixar de 
defender a área em Caxias”

   Feldmann defendeu a construção na área proposta pelo Município, em uma área de sete hectares, localizada no bairro Desvio Rizzo, próximo a RS-122, mas ficou sozinho. “Não podíamos deixar de defender a área em Caxias. Eu vou sempre defender minha cidade, mas temos de entender que a região está se constituindo num aglomerado. Fazemos parte de uma região metropolitana e a plataforma de integração regional se mostra cada vez mais necessária e urgente e, se a escolha for mesmo por Garibaldi, poderá ser um elemento de defesa ao projeto do trem regional", salientou.
   No encontro, o chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, Mauro Zanus apresentou uma área de 24 hectares, de propriedade da instituição, localizada no Vale dos Vinhedos, entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul, a qual está disponível para a construção  do Campus.
   O prefeito de Garibaldi, Antônio Cetolin acredita que este seja um passo extremamente importante, uma grande oportunidade. "É uma área neutra, um patrimônio da União que está sendo ofertado para a Região", enfatizou.
   Para o prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Rech Pasin, o fato da Embrapa ter disponibilizado a área poderá potencializar a instalação da UFRGS. "Acredito que estamos maduros para entender que as disputas e vaidades afastam muitos projetos. Agora nós temos uma área. Não é a única alternativa dentro da Amesne, mas é a mais concreta e estou disposto a batalhar para que este projeto floresça", disse.
   Devido às duas alternativas, o Presidente da Amesne sugeriu que se colocasse em votação e que a decisão da maioria fosse levada à Reitoria da UFRGS. Por 17x1 foi aprovada.
Feldmann:

 “Extensão da 
UFRGS foi democrática” 

   A questão repercutiu de forma negativa junto à Comissão Especial da Câmara de Vereadores, presidida por Rafael Bueno (PC do B), que considerou amadora e irresponsável a decisão tomada pela AMESNE.
   No entanto, o prefeito em exercício Antonio Feldmann (PMDB), que esteve presente na votação, afirma que o processo foi democrático e respeitou a escolha da maioria. Ele comenta que apresentou a proposta de Caxias, e que o projeto foi bem recebido pelos demais municípios. Entretanto, afirma que a preferência por Garibaldi se deve ao fato de o terreno pertencer à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), que por ser um órgão federal, facilitaria a transferência da área junto ao Ministério da Educação (MEC), agilizando assim o processo de implantação do campus na Serra.
   Feldmann preferiu não responder as críticas do vereador Rafael Bueno (PCdoB). Ele ainda nega frustração com a definição do local, e comenta que a decisão final é da própria reitoria da UFRGS e, portanto, Caxias do Sul vai persistir na busca pela construção da unidade da instituição no município.
A Comissão Pró-Universidade Pública Federal em Caxias do Sul realizou reunião  onde foi elencada série de ações, com o intuito de esclarecer a escolha de uma área em Garibaldi para sediar campus da UFRGS na região.
   Segundo o presidente da Comissão, vereador Rafael Bueno (PCdoB), será marcada reunião entre os demais parlamentares integrantes e o reitor da UFRGS. Rafael ressalta que o grupo deve ouvir também o presidente da AMESNE, Aícaro Ferrari, sobre o porquê da escolha do local por parte da entidade.
“Escolha foi leviana 
   e inadequada”

   A indicação da Amesne de uma área em Garibaldi para a instalação de um novo campus da UFRGS provocou a ira do prefeito de Farroupilha, Claiton Gonçalves (PDT). Ele, que não participou do encontro, afirma que a organização do evento, que resultou na escolha de um terreno de 23 hectares, localizado junto à sede da Embrapa,  nas proximidades do Vale dos Vinhedos, ocorreu de forma inadequada e leviana, com a finalidade de excluir da votação o município de Farroupilha, que iria apresentar uma proposta de ocupação de área de 29,5 hectares na localidade de Linha Palmeiro. Gonçalves afirma que o objetivo da reunião não constava nos comunicados oficiais da Amesne e foi modificado de última hora.
   Apesar de Caxias apoiar a indicação do terreno em Linha Palmeiro, durante a votação da Amesne uma proposta diferente foi apresentada pelo prefeito em exercício de Caxias do Sul, Antonio Feldmann. A ocupação de um local de sete hectares,  na entrada de Caxias, na ERS-122, foi negada por todos os 17 municípios da região. Mesmo com a posição da Amesne por Garibaldi, a indicação da área que vai receber o campus caberá à reitoria da UFRGS.









Leia Mais ...

Padre Leonardo Inácio Pereira assume Paróquia de São Pelegrino neste dia 28

0 comentários
Neste sábado, dia 28, na missa das 17h, o Padre Leonardo Inácio Pereira, 37 anos, assume como novo pároco da Igreja de São Pelegrino.  Ele será o terceiro sacerdote a assumir o cargo desde a criação da paróquia em 1942. Antes dele foram párocos o Padre Eugenio Ângelo Giordani (1942/1985) e o Padre Mário Pedrotti (1985/2015)

   A solenidade  será comandada pelo bispo diocesano Dom Alessandro Ruffinoni. Padre Leonardo assume no lugar do Padre Mário Pedrotti, que desde 1985 ocupa o cargo e que a partir deste dia 28 passará a ser pároco emérito de São Pelegrino.
   O Padre Leonardo Inácio Pereira, que foi ordenado sacerdote em 2004, pelo bispo Dom Paulo Moretto, na Igreja de São Pelegrino, e que  desde agosto de 2014 exercia a função de padre auxiliar da paróquia, assumirá oficialmente, no lugar do Padre Mário Pedrotti, que desde 1985 ocupava o cargo.
   Padre Mário solicitou ao bispo para se afastar pela idade avançada, 82 anos, além de ter tido problemas de enfermidade no início de 2014, por causa de um acidente que provocou lesões em seu joelho debilitando seu estado de saúde. Padre Mário se tornará pároco emérito de São Pelegrino e permanecerá residindo na paróquia.
   O Padre  Paulo César Nodari permanecerá como  auxiliar da Paróquia onde está há três anos. Foi oferecido a ele o cargo de pároco, mas ele optou por aperfeiçoar seus estudos de filosofia. Ele é doutor em filosofia na UCS. Não permitiria que ele tivesse o tempo suficiente para se dedicar integralmente à função.

  Fez mestrado em 
teologia bíblica em Roma

   Padre Leonardo Inácio Pereira, nasceu em Farroupilha, em 1977, mas ainda criança passou a residir em Caxias, no bairro Marechal Floriano, onde ainda reside seu pai, sua mãe faleceu. Foi em Caxias que ele teve toda sua formação. Estudou nos colégios São Carlos e Cristovão de Mendoza.  
   Em Caravaggio, estudou no seminário Propedêutico, em 1997, onde teve sua iniciação na doutrina da igreja.
   Depois esteve em Viamão por três anos onde concluiu o curso de filosofia. Por quatro anos estudou teologia na PUC em Porto Alegre, mas  residindo em Viamão, totalizando sete anos de permanência.
Foi ordenado sacerdote em 12 de dezembro de 2004 na Igreja de São Pelegrino pelo bispo Dom Paulo Moretto. Foi vice-reitor do seminário São José em Caxias. Durante um ano foi coordenador do serviço de animação vocacional da diocese. Esteve no Seminário em Farroupilha onde por quatro anos exerceu a função de vice-reitor do curso propedêutico e auxiliar do santuário de Caravaggio.
   Depois, por três anos, estudou teologia bíblica em Roma na Universidade gregoriana, onde fez o mestrado. Seu primeiro trabalho foi de vice-reitor do seminário São José e simultaneamente nos fins de semana auxiliava na Paróquia Mãe de Deus em Carlos Barbosa.  Em agosto de 2014 veio para a  Paróquia de São Pelegrino como padre auxiliar do pároco Padre Mário Pedrotti. Neste dia 28 assume como o novo pároco de São Pelegrino.


Padre Leonardo: “contamos 
com o auxilio de muitas mãos”

   Padre Leonardo será o terceiro pároco na longa história da Igreja de São Pelegrino. Antes dele, foram párocos, Padre Eugenio Ângelo Giordani, entre 1942 a 6 de março de 1985, quando faleceu, durante 43 anos e o Padre Mário Pedrotti que assumiu a condição de pároco em dezembro de 1985 e passará o cargo neste dia 28 de fevereiro tornando-se pároco emérito da Paróquia. A Igreja de São Pelegrino é uma das mais famosas e visitadas no RS e do país, pela  sua imponência e pela beleza das obras assinadas pelos artistas italianos Aldo Locatelli e Augusto Murer.
   Padre Leonardo diz que assume  a paróquia com muita alegria ressaltando; “Antes  de ser um desafio, recebo o cargo como uma herança que é entregue, que não me pertence. Ela está sendo confiada para que possa continuar. Cada pároco tem sua marca. Temos que ser agradecidos pelo que nos antecederam  por tudo o que fizeram e agradecer a Deus”.
   Ele salienta também o desafio de dar continuidade a um trabalho de 70 anos “e colocar uma marca que se não é fundamental, mas é importante”.
   Padre Leonardo ressalta: “Contamos com o auxílio de muitas mãos, com o auxílio de uma comunidade muito participativa, com a presença de pessoas que estão sempre prontas para servir, tornando a igreja uma comunidade que acolhe pessoas com humildade, alegria e participação”.
Para o novo pároco de São Pelegrino, “a paróquia deve sempre ser uma escola de discipulado, um local de aprendizado para seguir Jesus, de como ajudar as pessoas cada vez mais, para que elas possam se encontrar com Jesus e se deixar formar por ele nos tempos de hoje que são difíceis”.

                                                                                               Foto Pedro Frizzo
Padre Leonardo: “A paróquia deve sempre ser um local para seguir Jesus”

Leia Mais ...

Aeroporto está sem equipamento para operar por instrumentos

0 comentários
   O Aeroporto Hugo Cantergiani está operando sem altímetro desde o início desta semana, quando inspeção da Força Aérea Brasileira (FAB) detectou restrições no funcionamento do equipamento.

   Conforme o administrador do Aeroporto, Marcos Arguelles, o aparelho que mede a pressão atmosférica e ajusta a altitude das aeronaves foi recolhido e deve ser substituído por um novo digital, em prazo de dez dias.
   Ele explica que, quem determina se a aeronave vai funcionar por instrumento ou visualmente é o operador de tráfego aéreo.
   Em caso de visibilidade inferior a cinco mil metros, o que normalmente ocorre quando o tempo está chuvoso ou nublado, enquanto o Aeroporto estiver sem o equipamento, a alternativa será transferir os pousos para Porto Alegre.
   Arguelles acredita que isso não vai ser necessário, já que as condições climáticas não devem apresentar restrições nesta época do ano.
   Segundo o administrador, o novo equipamento, que vai ser trazido do município de Santo Ângelo, por ser tecnicamente mais avançado, vai melhorar a operacionalidade do Aeroporto Hugo Cantergiani.

                                                                                                 Foto Andréia Copini, divulgação
Novo equipamento vai melhorar a operacionalidade do aeroporto



Leia Mais ...

Secretaria da Saúde aguarda notificação sobre indiciamento de médicos

0 comentários
A Delegacia de Homicídios e Desaparecidos de Caxias do Sul concluiu, no dia 23, o inquérito que apontou o indiciamento de cinco médicos do Postão 24 Horas, por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. 

   O caso se refere ao atendimento do jovem Marcos Douglas do Amaral, 21 anos, portador de HIV/AIDS.
   Segundo o delegado Guilherme Gerhardt, entre junho e julho de 2013 o paciente procurou o Postão e com base nos laudos do Instituto Geral de Perícias (IGP) houve negligência no atendimento.
   O delegado relata ainda que o jovem estava morando em Caxias, mas era natural de Vacaria, onde cerca de 60 dias depois de buscar o primeiro atendimento no Postão de Caxias do Sul veio a falecer.      Os depoimentos dos médicos indiciados, que afirmaram não ter condições de dar atendimento adequado ao paciente devido ao Postão não ter um sistema que possibilitasse ter o histórico anterior do paciente, é o fato que mais chama a atenção do delegado. A secretária interina da Saúde de Caxias do Sul, Marta Fattori, informou que ainda não havia sido notificada sobre qualquer irregularidade no atendimento do Postão. Porém, salientou que a Secretaria vai tomar as medidas cabíveis após uma notificação oficial. A polícia não divulgou o nome dos médicos indiciados por homicídio culposo.




Leia Mais ...

Sossella é cassado pelo TRE, mas vai recorrer ao TSE

0 comentários
   O deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Gilmar Sosella (PDT) teve seu mandato cassado no último dia 24 pelo plenário do TRE-RS (Tribunal Regional Eleitoral do RS) acusado de captação ilícita de recursos e abuso de poder político.

   Sosella quando presidente da Assembleia foi um dois principais líderes para que o projeto de aposentadoria dos deputados e seus dependentes  fosse aprovado, num claro exemplo de legislar em beneficio próprio. Além de liderar também o reajuste salarial para o governador, vice, deputados e outras categorias do serviço público estadual, mesmo que  a situação econômica do Estado  não aconselhasse tais aumentos.
   Com o projeto aprovado, o salário do governador passou de R$ 17,3 mil para R$ 25,3 mil. No caso do vice, de R$ 11,5 mil para R$ 18,9 mil.
   O governador José Ivo Sartori (PMDB), depois de assinar a aprovação do projeto, não o vetando, sentindo a pressão popular, voltou atrás abrindo mão do aumento ficando com seu salário antigo de R$ 17,3 mil, o mesmo ocorrendo com o vice José Carioli (PSD) que permaneceu com os subsídios de R$ 11,5 mil.
   Já os deputados estaduais liderados por Sossella, não se sensibilizaram com a situação econômica do Estado e não abriram mão do aumento e passaram dos 18.991,69, para R$ 25.322,25. Por outro lado, os integrantes do Tribunal de Justiça e do Tribunal de contas do Estado e  da Defensoria Pública e do Ministério Público que passaram  receber R$ 30.471,11 mensais.
   Agora, o deputado que liderou esta situação quando presidente da Assembleia teve seu mandato cassado pelo TRE, sob a acusação de utilizar o cargo de presidente de Casa para pressionar servidores concursados do Legislativo detentores de funções gratificadas a adquirir convite para um evento de apoio à sua reeleição.
   Sossella, pela decisão do TRE, também ficará inelegível por oito anos e deverá pagar multa de R$ 10 mil. O fato teria ocorrido no mês anterior às eleições de outubro do ano passado. A decisão também condenou ainda o ex-superintendente da Assembleia, Artur Alexandre Souto. Ele também foi declarado inelegível por oito anos e deve pagar multa de R$ 10 mil pelos mesmos delitos.


Se TSE confirmar decisão 
Vinicius Ribeiro assume


   A decisão para cassar Sossella ocorreu por maioria. Apenas o relator do caso, desembargador Luiz Felipe Brasil Santos, foi contra a condenação de Sossella. Ele defendeu o pagamento de multa pelos crimes. A Justiça Eleitoral determinou ainda que o atual presidente da Assembleia, deputado Edson Brum (PMDB), convoque o primeiro suplente na ordem de sucessão de 2014.
   Sosella, que esteve presente à sessão, afirmou que recorrerá da decisão ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e já conversou com seus advogados para sua defesa. Enquanto este julgamento não ocorre, ele mantém o mandato. Em caso de nova derrota, ele perderá o cargo, mas os seus votos continuarão com a coligação. A primeira suplência é da deputada Juliana Brizola (PDT).
   Mas como ela já ingressou na Assembleia devido a licença de Gerson Burmann (PDT), que assumiu como secretário de Obras do Estado, o caxiense Vinicius Ribeiro (PDT) é o segundo suplente da coligação e quem ocupará a vaga de Sossella caso ele for cassado também pelo TSE.

Conheça melhor os motivos 
 da cassação de Sossella

   Sosella e mais sete servidores do Legislativo gaúcho, foram indiciados pela Polícia Federal, após denúncias. Segundo relatos, profissionais teriam sido pressionados a comprar convites no valor de  R$ 2,5 mil para um churrasco. A finalidade  da ação seria arrecadar recursos para a campanha de Sossella que teria utilizado-se da máquina  pública da Assembleia e, portanto, do dinheiro dos contribuintes, para acabar se reelegendo  com 57.490 votos e obter o terceiro mandato consecutivo no parlamento gaúcho.
   Já o ex-superintendente da Casa, é apontado como o responsável por cooptar estagiários como cabos eleitorais do deputado, de quem era chefe de gabinete antes  de assumir a direção da Assembleia. Ainda, segundo a denúncia, os estagiários seriam obrigados a apresentar listas com os nomes dos eleitores que seriam possíveis votos revertidos para o parlamentar pedetista. “Em relação ao cadastro, ele é um banco de dados que mantemos justamente para podermos prestar contas de nosso trabalho de forma direta aos cidadãos gaúchos”, disse Sossella, após o indiciamento pela PF em 2014.
   À época, também foram investigados a esposa do parlamentar, Melânia Sossella, o superintendente administrativo da Assembleia, Riciere Dalla Valentina Júnior, o diretor do Departamento de Comissões Parlamentares,  Ivan Ferreira Leite; a superintendente legislativa, Fernanda Paglioli; o  chefe de gabinete da Presidência e major da Brigada Militar, Jair Luiz Muller e a sectária de gabinete do superintendente-geral, Andreza Macedo Teixeira.

                                                                                           Foto Marcelo Bertani/Agência ALRS
Se o TSE mantiver a decisão do TRE e Sossella 
perder o mandato, Vinicius Ribeiro assume

Leia Mais ...

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Inter vence Universidad de Chile no Beira Rio

0 comentários
Vitória tirou pressão sobre o técnico Diego Aguirre e deixou o 
colorado na segunda colocação do Grupo. 

   Foi com a vitória a estreia do Inter no Beira-Rio na Libertadores. O time de Diego Aguirre venceu o Universidad de Chile por 3 a 1 na noite de ontem. D’Alessandro, Jorge Henrique e Eduardo Sasha marcaram os gols colorados.
   Com o resultado o Internacional está na segunda colocação do Grupo quatro. Na próxima quarta, dia 4, o colorado enfrenta o líder do Grupo, o Emelec, no Beira-Rio. Antes disso no fim de semana o Inter joga o clássico Gre-Nal também em casa.
   Se o Internacional protagonizou o primeiro lance de perigo do jogo, quando Eduardo Sasha emendou uma bela bicicleta que passou perto do gol de Johnny Herrera, o time chileno quando chegou em um contra-ataque balançou o travessão de Alisson em chute de Máxi Rodrigues.
   O time gaúcho passou a ter posse de bola e tentava empurrar a La U. para o seu campo de defesa. Quando Vitinho, ao entrar na área em velocidade, foi derrubado na área, o árbitro da partida, Victor Carrilo, não marcou o pênalti.
   Aos 41, os visitantes conseguiram voltar ao ataque e em uma boa construção Máxi Rodrigues que finalizou dentro da área, mas chutou por cima do gol. Quando a torcida colorada parecia se mostrar um pouco impaciente, D’Alessandro entrou na área e foi puxado pela camisa. Desta vez a penalidade foi marcada. Foi o argentino que foi para a cobrança. E como sempre, sobrou categoria, bola de um lado, goleiro do outro, Inter 1 a 0.
   Na segunda etapa a torcida colorada gostou quando Alex foi chamado para entrar na partida, mas não ficou contente quando soube que quem sairia seria o atacante Vitinho.
Se a Universidad apostava nos contra-ataques no primeiro tempo, no segundo o time chileno viu o Internacional no contragolpe ampliar o placar. Alex deu excelente lançamento para Jorge Henrique que na cara do gol só teve o trabalho de tirar de Herrera, Inter 2 a 0. Ele se emocionou na comemoração do gol.
   Com a vitória parcial o Inter parecia que apenas iria administrar o resultado. Mas a La U. descontou aos 21, em chute de primeira de Canales de dentro da área.
    O adversário ensaiou uma pressão após descontar. Foi Eduardo Sasha que deu fim ao jogo.  Aos 32, em grande passe do também chileno Charles Aránguiz, ele concluiu para fazer o terceiro gol.


Leia Mais ...

Web Designer Caxias

Facebook