sábado, 25 de abril de 2015

Fórum de Caxias terá sua ampliação entregue em julho

0 comentários
O novo prédio do Fórum de Caxias do Sul deve ficar pronto em julho. A informação é do diretor do Fórum, juiz Sérgio Fusquine. Em maio do ano passado, a obra foi interditada por descumprimento de medidas de segurança dos trabalhadores.

   Com isso, o cronograma de execução da ampliação da Comarca, que era para ser finalizado no final de 2014, acabou prorrogado.
De acordo com o diretor do Fórum, juiz Sérgio Fusquine, a estimativa é que já em agosto a nova estrutura seja ocupada. Ele explica que desta forma novas Varas e Juizados poderão ser instalados em Caxias.
   Com oito pavimentos, o espaço vai ser ampliado em 30% em relação ao atual. O novo prédio teve investimento de R$ 39 milhões.
   Atualmente, a Comarca de Caxias do Sul é a segunda maior do Estado. Ela conta com 24 juízes, cerca de 210 servidores e 100 estagiários. Conforme a Gazeta já divulgou ainda em março cerca de 150 mil processos ativos tramitam entre as 21 Varas e Juizados. Com a ampliação do Fórum há uma estimativa que este número de processos diminua e os trabalhos possam ser mais agilizados.

                                                                                                                                    Foto Arquivo Gazeta
Ampliação do Fórum de Caxias trará melhorias no atendimento

Leia Mais ...

Imagem da semana 1064

0 comentários
                                                                                                                  Foto Andréia Copini, divulgação 
O Sistema Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) ampliou o abastecimento pelo Sistema Marrecas para mais algumas áreas da região Nordeste da cidade. Após as adaptações necessárias à distribuição, foram adicionadas ao Sistema Marrecas parte das regiões dos bairros Mariland, Século XX, Saint Etiene e o restante da área do São Ciro e parte do Diamantino. A população acrescida ao abastecimento do Sistema Marrecas é estimada em 15 mil, somando-se às cerca de 20 mil que já vinham sendo regularmente atendidas. A absorção de outras áreas da região Nordeste pelo Sistema Marrecas está prevista para ocorrer ainda neste ano. 

Leia Mais ...

Artigo 1064

0 comentários
                                                           Juízes divergentes

João Baptista Herkenhoff -  Magistrado aposentado

    Um grande esforço é realizado pela Justiça no sentido de alcançar a convergência. Neste sentido, procura-se a uniformização dos julgados. Com este objetivo são estabelecidas, por exemplo, súmulas da jurisprudência dominante.
    Alguns tribunais adotam, como critério para a promoção dos juízes de grau inferior, verificar o número de suas sentenças confirmadas e reformadas. Alcançar um bom índice de decisões mantidas pela superior instância seria prova de mérito.
    Num certo aspecto a sintonia jurisprudencial é útil porque contribui para a segurança do Direito. É aconselhável que os cidadãos, as pessoas físicas e as pessoas jurídicas saibam se um determinado ato, uma determinada conduta, um determinado contrato coere ou não com as normas vigentes.
Sob outro ângulo, a fidelidade a princípios rígidos atenta contra o bom Direito. Uma coisa é a norma abstrata. Outra coisa é a situação concreta.
    Quando nos deparamos com a norma abstrata cabe seguir o conselho latino: dura lex, sed lex (a lei é dura, mas é lei). À face, entretanto, da dramaticidade da vida, o princípio do “dura lex” pode conduzir à injustiça.
    Se devesse sempre prevalecer o brocardo “a lei é dura, mas é lei”, seria mais econômico substituir os magistrados por computadores.
Todos aqueles que um dia foram juízes, promotores, advogados, ou frequentaram os fóruns, saberão recapitular casos em que, para fazer imperar o Direito, foi necessário abandonar a hermenêutica literal.
    Como condenar uma mulher que registrou filho alheio como próprio, ofendendo um artigo do Código Penal, sem considerar que se tratava de uma pessoa ignorante que agiu com nobreza de intenção, sem prejudicar quem quer que seja!
    Como condenar aquela mocinha que, estuprada, praticou o aborto, sem procurar entender o sofrimento que a atormentava?
    Como não desprezar a solenidade das salas de audiência e chorar (sim, o juiz é humano, o juiz chora), como deixar de chorar quando um ex-preso entrega ao magistrado a medalha de Honra ao Mérito, conquistada na empresa onde trabalhava, declarando: “Doutor, esta medalha é sua; se naquela tarde eu tivesse permanecido na prisão eu seria hoje um bandido”.
    Como deixar de lado o aspecto existencial do encontro das partes em geral com o juiz e reduzir esse encontro a um ato meramente burocrático, mecânico, frio. Como recusar o aperto de mão, a aproximação física, o olhar, todas as formas de expressão de humanidade para, em sentido contrário, colocar um biombo, uma barreira, uma proibição, separando o comum dos mortais da divindade que veste toga!



Leia Mais ...

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Inter vence The Strongest no Beira-Rio e está nas oitavas da América

0 comentários
As oitavas de final da Libertadores terá dois duelos entre times brasileiros. Enquanto o Inter pega o Altético-MG, Cruzeiro e São Paulo se enfrentam. O Corinthians enfrentará o Guaraní do Paraguai. 

    Mais do que a vitória por 1 a 0 em cima do The Strongest no Beira-Rio no início da noite de ontem o Internacional conquistou o primeiro lugar do Grupo 4 e está nas oitavas de final da Libertadores da América. Onde vai enfrentar o Atlético-MG, com a decisão sendo no Beira-Rio, pois o Inter teve melhor campanha.
    Valdívia marcou o gol da equipe colorada que teve duas atuações distintas em cada etapa. Em um primeiro tempo o Inter sobrou no jogo, enquanto no segundo quase viu o gol de empate surgir.
    A primeira chance de gol criada pelo Internacional foi aos 15 minutos. Em cruzamento da direita na área Eduardo Sasha cabeceou perto do gol.
      Alguns minutos depois por pouco o toque de Nilmar ao completar cruzamento não colocou o Inter na frente. Aos 29, ao pegar rebote de fora da área, Charles Aránguiz chutou no meio da área e a bola parou nos pés de Valdívia dentro da área. Daniel Vaca salvou.
   Mas o goleiro boliviano nada pode fazer quando Eduardo Sasha fez belo cruzamento no meio da área onde estava Valdívia de frente para o gol para mandar uma pancada, Inter 1 a 0 aos 40 minutos da primeira etapa.
  Na segunda etapa tudo indicava que o Inter ampliaria o marcador e administraria o resultado. Mas o time gaúcho não jogou o mesmo futebol e viu o adversário chegar com perigo algumas vezes no ataque. Em erros de saída Colorada o The Strongest perdeu a chance de empatar.
.

Jogos de ida das oitavas de final 

River Plate x Boca Juniors
São Paulo x Cruzeiro
Guaraní-PAR x Corinthians
Montevideo Wanderers x Racing
Universitario Sucre x Tigres
Emelec x Atlético Nacional
Atlético-MG x Inter
Estudiantes x Santa Fé-COL

Leia Mais ...

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Caxias terá roteiro turístico ampliado

0 comentários
Novas localidades serão incluídas no atual roteiro turístico do Município. 
O nome do novo roteiro será debatido na próxima reunião. 

                                                                        Fotos Tiago Fernandes/ SEMTUR


Está sendo planejado um novo roteiro turístico para Caxias do Sul que poderá incluir novas comunidades do interior, além das já existentes no atual roteiro. Somar-se-ão ao grupo 
os distritos de Fazendo Souza, Vila Oliva e Santa Lúcia do Piaí. 
   
    No dia 24 de março foi feita uma reunião para tratar do tema. Atualmente são seis roteiros oficiais na cidade: Ana Rech, Caminhos da Colônia, Criúva, Estrada do Imigrante, La Cittá e Vale Trentino.
A Secretária Municipal de Turismo, Adriana de Lucena (Drica) (PP), conta que o interesse surgiu da comunidade com o intuito de fomentar aquela região e pedir auxílio ao poder público de como desenvolver o roteiro. Nas três localidades, em torno de 18 empreendimentos mostraram interesse. São atrativos religiosos, culturais e naturais de propriedade privada.
    Na primeira reunião foi realizado um mapeamento, sendo verificado com cada subprefeitura, quantos estabelecimentos demonstravam interesse. Um próximo encontro, no dia 27, vai tratar do nome do novo roteiro e se mais algum empreendimento gostaria de fazer parte.
A partir dessas informações será montado um material com o mapa da região e depois haverá a divulgação desse roteiro. A titular da pasta de turismo explica que o público alvo inicialmente será os caxienses. “Divulgar para o público de Caxias para que conheçam esses estabelecimentos. O grande desafio da Secretaria é fazer um trabalho para que os caxienses conheçam Caxias do Sul”, diz. Como a cidade recebe muitas pessoas de fora, é grande o número de pessoas que não conhece os atrativos turísticos do Município.

“Só se consolida se ele vê o 
outro roteiro como parceiro”

   A Secretária explica que não sabe qual a expectativa de público quando o atual roteiro foi criado, mas acredita que a quantidade de visitantes possa estar dentro do esperado. “Mas como todo o roteiro nós devemos estar constantemente aprimorando, inovando e trazendo novas atrações como outros roteiros consolidados na serra gaúcha. Nunca vamos estar satisfeito, sempre vamos querer mais. Caxias do Sul é a cidade que está preparada para atender sempre cada vez mais. Nunca teremos esse quesito de satisfação”, acrescenta.
    Drica ressalta que cada um dos atrativos caxiense tem uma diversidade diferente. Enquanto Criúva, por exemplo, tem o turismo mais voltado ao campeiro, o Caminho das Colônias se destaca pela gastronomia. Os novos trajetos irão trazer um produto diferenciado e não irão competir com os existentes.
    Os novos pontos se destacam pelos hortifrutigranjeiros, agroindústria, atrativos naturais e culturais existentes nessas comunidades. Por serem mais afastadas da cidade, possuem uma linha mais interiorana, o que pode ser um diferencial. “São produtos diferentes que complementam a diversidade que possuímos. Importante ressaltar que cada produto turístico que se lança vem para somar”.
Ela observa, ainda: “Temos o cuidado de orientar os empreendedores para sempre estarem inovando e terem um diferencial, mas que trabalhem de forma cooperativada. Extremamente importante eles saberem que um roteiro apenas funciona se tiver um apoio coletivo. Só se consolida se ele vê o outro roteiro como parceiro”.




“Turismo não se faz somente
com iniciativa privada”
 
     Sobre as críticas de que Caxias do Sul não tem uma estrutura turística que atraia os visitantes, a Secretária fala que se percebe, sim, uma visita constante nos finais de semana, contudo evidencia que há uma crise econômica existente, logo, o turismo acaba sendo prejudicado.
     Outro fator percebido na cidade é que está havendo a diminuição de grupos turísticos, com os turistas visitando de forma isolada. Drica afirma que o turismo não se faz somente com iniciativa privada. “É uma parceria, os três têm que estar envolvidos: a iniciativa privada, o poder público e a comunidade”.
     A titular da pasta cita alguns avanços durante a sua gestão como o Plano Municipal do Turismo, a sinalização turística bilíngue na cidade, que está sendo completada, e a remodelação do Conselho Municipal do Turismo.
     Há também um trabalho permanente com conversas e visitas a eventos e feiras para destacar a presença de Caxias no roteiro turístico. Drica também lembra que as participações da cidade em feiras turísticas estão sempre sendo feitas no grupo serra gaúcha. Algo que era feito de forma isolada. Deste modo possibilita uma integração entre as cidades vizinhas e assim permite a troca de desafios e dificuldades para aprendizagem. Para que o turista que vai às demais cidades também explore Caxias do Sul e vice versa. A ideia de não igualar o produto, mas ter um diferencial, trabalhando de forma coletiva também vale para o turismo regional.

Espaço para estacionamento dos
ônibus no Largo da Estação Férrea

    No ano passado a igreja de São Pelegrino, um dos pontos turísticos mais visitados de Caxias do Sul, acabou tendo a diminuição do fluxo de turistas, pois os ônibus de turismo não tinham um espaço específico para estacionamento. Na época a questão de falta de infraestrutura nas proximidades também foi abordada.
    Para a Secretária, a igreja de São Pelegrino não foi tirada do roteiro turístico, porém foram constados alguns problemas, mas as providências foram tomadas. Ela fala que há uma parceria entre poder público e a igreja de oferecer uma estrutura para os turistas e ações foram desenvolvidas para continuar a sensibilização e a importância dessa visitação.
    Houve uma interlocução com a Secretaria de Transportes para espaço de embarque e desembarque na Avenida Itália para os ônibus. Está também no projeto da Secretaria outro espaço para estacionamento dos ônibus no Largo da Estação Férrea.
No mês de agosto serão comemorados os cem anos de nascimento do artista Aldo Locatelli, cuja grande obra na cidade está nas pinturas da igreja de São Pelegrino. Há tratativas com a igreja para que no dia do centenário seja realizado um grande ato.
    Além de servir de possível estacionamento para os turistas oriundos da igreja de São Pelegrino, a Estação Férrea também será explorada pela Secretaria de Turismo para promover a região. Uma reunião, no dia 29, está marcada com a Secretaria da Receita Municipal.
    Quando o assunto é Parque da Festa da Uva os avanços nas últimas gestões também são citados pela gestora. O Parque passou a contar com bicicletário, missas uma vez por mês também passaram a ser realizadas na capela das réplicas e o restaurante está aberto permanentemente.
    Segundo ela, o espaço vem recebendo uma grande presença da comunidade nos finais de semana.  Já no meio da semana ele também é bastante usado para caminhadas ao final da tarde.
     Há um estudo para que as réplicas possam também ser mais exploradas turisticamente. “Nosso parque é muito visitado nos finais de semana. Tivemos uma grande evolução. Percebe-se que a comunidade abraçou essa causa”, afirma.



Leia Mais ...

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O Rio Grande é de todos. Precisamos compartilhar a verdade”

0 comentários
Em Caxias, Sartori afirmou: “O medo não pode matar a sede dos nosso ideais”. 


                                                                                               Foto Pedro Frizzo
Sartori: “Vamos tentar priorizar a saúde, educação e segurança”


    Na noite do dia 16 ocorreu em Caxias do Sul a última edição da Caravana da Transparência do Governo do Estado. Marcado para começar às 19h no UCS teatro, eram quase 20h quando o governador fez a abertura do evento. Mas antes disso, na entrada do prédio encontrou a manifestação de representantes da Polícia Civil, da Brigada Militar e do CPERS.
    A presidente do Centro de Professores do Estado do Rio Grande do Sul, Helenir Aguiar Schürer, explicou que a pauta era apresentar um contraponto à fala da crise no Estado. Questionou os aumentos que foram concebidos e por que não foram vetados. “Se há crise é apenas da porta para fora do Piratini”, falou.
    O evento já havia percorrido as cidades de Passo Fundo, Ijuí, Santa Maria, Osório, Novo Hamburgo, Alegrete, Pelotas e Lajeado. A Caravana tinha o objetivo de explicar a situação das contas públicas e apresentar as medidas para o enfrentamento da crise.
    O Governador do Estado estava em casa. Foi presidente do DCE da Universidade de Caxias do Sul e professor da instituição na cidade em que foi eleito vereador, deputado estadual, deputado federal, prefeito e governador.
    Já em seu discurso de saudação, José Ivo Sartori citou que o secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, com certeza, tem o maior desafio de sua vida ao administrar as finanças do Estado do Rio Grande do Sul. Disse que a realidade financeira do Estado é grave.
     “Mas o medo não pode matar a sede dos nossos ideais. O Rio Grande é de todos e por isso precisamos compartilhar a verdade. Chega de vender ilusões. Seria desastroso frustrar mais uma vez os gaúchos dizendo que aquilo poderia ser feito e que na verdade não tem condições de se realizar”.

“Vamos nos esforçar para 
manter em dia os salários”

    Os passos para enfrentar a crise, segundo o governador, são muito claros. É necessário criar ambiente para o desenvolvimento econômico e para sustentabilidade no processo de investimentos no Rio Grande do Sul. Atrair empresas e ampliar a receita.
   “Não precisa ser matemático para saber que mais dinheiro em uma ponta gera mais prestação de serviço na outra. Vamos nos esforçar para manter em dia os salários dos servidores e os serviços públicos possam ser destinados prioritariamente para a saúde, a educação e para segurança”.
Afirmou que mesmo com as dificuldades, nos quatro meses, foram fixados em torno de 9,5 bilhões em investimentos de novos empreendimentos no Estado. Após citar alguns projetos falou que muitos começaram em outros governos e irão ser repassados para os próximos que darão continuidade a este processo.
    Após sua fala inicial, Sartori se dirigiu a uma sala ao lado para conceder entrevista coletiva à imprensa. “Era obrigação nossa falar a verdade, quem deseja conhecer os números precisa conhecer a realidade. Vamos e estamos fazendo um esforço para tentar manter os salários em dia de todos os servidores do Estado do Rio Grande do Sul”.
    Depois da coletiva retornou ao evento onde permaneceu por mais alguns minutos antes de se retirar por uma porta lateral. A Caravana teve continuidade com a presença dos secretários estaduais e municipais, deputados estaduais, prefeitos e vereadores da região, representantes dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) e de entidades de Caxias e região.



Leia Mais ...

Comissão

0 comentários
    Na manhã desta segunda-feira foi apresentada à comunidade os membros da comissão comunitária da Festa da Uva de Caxias do Sul de 2016. A apresentação ocorreu durante um café da manhã no restaurante do mezanino do Centro de Eventos dos Pavilhões.
    A presidência da comissão está a cargo do casal Edson e Cristina Néspolo. A vice presidência de relacionamento com Paulo e Mônica Spanholi. Flávio e Liliana Cassina ficaram com a vice presidência de área pública. E, finalmente, a vice presidência de área privada traz Osvaldo e Viviane Voges. Outras 38 pessoas participam da comissão.
    Esse caráter comunitário é a certeza de uma grande Festa da Uva. Cada voluntário está identificado com a sua área de atuação — diz Néspolo.
    Um dos objetivos da comissão é fortalecer o propósito de realizar mais uma festa, aumentando os atrativos, os espaços e as atividades de lazer. Manter e ampliar o espírito de interação e de união das diferentes etnias e classes sociais que forma a população também é uma das finalidades.


Leia Mais ...

Gauchão

0 comentários
Inter vence Xavante no 
Beira-Rio e está na final 

Time colorado foi melhor e não deu chances para o adversário.

    O Inter começou o jogo classificado, o empate sem gols diante do Brasil de Pelotas na tarde de ontem no Beira-Rio colocava o colorado na final do Gauchão. Mas o time misto do Internacional venceu por 3 a 1 e vai enfrentar o Grêmio na decisão.
    No próximo domingo ocorre o primeiro clássico na Arena e no dia 3 de maio no Beira-Rio, 16h. O segundo ocorre dia 3 de maio, no mesmo horário, no Beira-Rio.  O Inter decide em casa, pois teve a melhor campanha do Campeonato.
   O relógio marcava quase dez minutos de jogo quando Eduardo Martini salvou cabeceio de Valdívia que completou cruzamento de Anderson. A bola ainda bateu na trave.
    O meia colorado voltou a levar perigo em cobrança de falta novamente defendido por Martini. O goleiro Xavante voltou a levar melhor quando Lisandro Lópes tabelou com Anderson e chutou de dentro da área.
    A melhor chance do Brasil no primeiro tempo foi aos 27 quando Alex Amado cabeceou a direita do gol de Alisson. Ele teve outra chance quando recebeu lançamento na frente, girou sobre a marcação, mas pegou mal na hora da finalização. No fim da etapa quem levou perigo foi o Inter em pancada de Alex de fora da área. Martini defendeu em dois tempos.
    Se o chute de Alex não entrou aos nove minutos do segundo tempo após o lançamento de Valdívia, um minuto depois o lançamento se repetiu e Alex mandou por cima do goleiro, 1 a 0.
    Assistente do primeiro gol colorado, Valdívia também fez o dele, aos 15, em chute de fora da área, ele deu uma pancada no canto esquerdo do goleiro, a bola ainda bateu no pé da trave antes de entrar.
Galiardo tentou surpreender em cobrança de falta, mas Alisson salvou. Porém quem quase marcou e novo foi o time Colorado. Alan Ruschel acertou a trave de Martini.
    O Internacional ainda ampliou o placar. Aos 34, Rafael Moura, que recém havia entrado na vaga de Anderson, completou cruzamento de William, 3 a 0. O time de Pelotas fez o gol de honra aos 41, com Márcio Jonatan.
    O time de Rogério Zimmermann ficou com o título do interior enquanto o de Diego Aguirre com uma das vagas na final do Campeonato Gaúcho.

Juventude perde para o Grêmio 
na Arena e é eliminado

Time gremista foi superior e teve o domínio durante toda a partida. 

    O Juventude não conseguiu superar o Grêmio e não jogará a final do Campeonato Gaúcho. Precisando ganhar o time alviverde foi derrotado por 2 a 1 na tarde de sábado na Arena e deu adeus a competição. Apesar de conseguir o empate no fim da primeira etapa o time caxiense não conseguiu virar o jogo no segundo tempo.
   Em um início de jogo com forte marcação, era o time gremista que tinha posse de bola e as ações defensivas. O Tricolor trocava passes e arriscava finalizações.
Aos 22, Pereira sentiu a coxa direita e teve que ser substituído. Lucas foi para o jogo obrigando o técnico Picoli mudar o esquema de jogo.
    O meia Giuliano que havia marcado o gol no Estádio Alfredo Jaconi novamente foi destaque da partida. Aos 29, o meia fez fila na marcação alviverde e deixou Luan na cara do gol. Ele colocou na saída de Aírton, Grêmio 1 a 0.
    Alguns minutos depois Giuliano novamente deixou o companheiro na cara do gol, Braian Rodríguez, que não conseguiu passar pelo goleiro Airton.
    Só dava Grêmio. Em outra jogada o centroavante gremista mais uma vez não conseguiu passar pelo goleiro alviverde, que logo depois defendeu uma pancada de Giuliano da entrada da área.
O Ju só conseguiu chegar pela primeira vez aos 45 minutos do primeiro tempo. Foi nesse lance que chegou ao gol. Rogerinho cruzou na área e Douglas no erro de marcação da defesa gremista cabeceou no canto de Marcelo Grohe, 1 a 1.
    O Juventude estava a um gol de chegar a final no segundo tempo, desde que não sofresse mais nenhum. Porém o Grêmio continuou dominando a partida na segunda etapa.
Luan só não fez o gol aos 12 minutos, porque Airton salvou. A partida era no campo de ataque gremista e o Ju jogava por uma bola. Aos 18, Rogerinho deu o primeiro chute alviverde na etapa final na direção do gol de Marcelo Grohe. Passou longe do gol.
   Foi o Grêmio que chegou ao segundo gol. Aos 30, Douglas cobrou escanteio no meio da área e Pedro Geromel subiu mais que todo mundo para cabecear no canto de Airton, Grêmio 2 a 1.
Estava decretada a vitória gremista e a eliminação do Ju. Não deu para o Juventude, que começou o Campeonato de forma instável e se despediu na semifinal diante do Grêmio. Agora tudo é série C para o Juventude. Agora tudo é série C para Caxias do Sul.

Leia Mais ...

domingo, 19 de abril de 2015

“Nestes 18 anos de convivência com Alceu, nunca o deixei constrangido”

0 comentários
Agenor Basso (PDT), advogado, é o novo chefe de gabinete do prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT), desde o dia 6 de abril, além de permanecer como o controlador geral do município. 


                                                                                             Foto Diego Pereira
 Basso: “Alceu sempre prioriza o coletivo e 
 não o individual, acatando as decisões do partido”


    Como controlador ele tem a função técnica de responder junto com o prefeito ao Tribunal de Contas do Estado tudo o que se refere a gastos públicos, despesas, licitações, “é uma função que não é visível junto à opinião pública, mas ela exige muita responsabilidade e total atenção, para não se cometerem erros”, diz Basso.
    Já na condição de chefe de gabinete, além de manter os primeiros contatos com as pessoas que querem agendar encontros com o prefeito, Basso trata da análise dos vários processos/demandas que chegam para serem encaminhados ao chefe do executivo. Mas, antes, ele precisa dar um parecer sugerindo qual é a melhor situação e caminhos a serem tomado. “São vários processos e é uma atividade que há necessidade de se ficar muito antenado para não se cometer equívocos ou erros de avaliação que possam trazer problemas ao prefeito e à prefeitura”.
   Basso enfatiza: “Nestes 18 anos de convivência com o prefeito Alceu não me lembro de tê-lo deixado numa situação de constrangimento uma vez sequer. Estou ao seu lado desde que ele se elegeu vereador em 1997, vice-prefeito, deputado estadual, prefeito, secretário de governo, controlador geral e agora como chefe de gabinete”.
    Basso revela que sua relação com Alceu, embora tenha começado em 1997, teve seu início ainda em 1992, como secretário do partido, quando na convenção do PDT para a escolha do candidato a prefeito nas eleições daquele ano concorriam os nomes de Darvin Corsetti, Raul Bento Alves e Luiz Carlos Festugatto, saindo como candidato Corsetti e  Bento Alves.
   Ele lembra que durante a convenção, citou o nome de Alceu Barbosa Velho. “Naquela ocasião, recordo que disse que o nome que tinha a melhor perspectiva de futuro dentro do partido era o do Alceu, pela forma de lealdade como ele se posicionava sempre priorizando o coletivo e não o individual acatando o que a maioria do partido decidia”.
   Basso ressalta que este posicionamento, “de que o que a maioria decidir ele acata, deu ao Alceu uma extraordinária respeitabilidade dentro do PDT, e na Assembleia Legislativa e ao partido em nível estadual e aos próprios deputados do legislativo gaúcho”.
    Basso diz que Alceu só ficou sabendo daquele seu posicionamento em 1992, quando se elegeu vereador em 1996, “só que ele me conheceu mesmo no final de 1997, quando já era vereador, e alguns processos “muito pesados” do prefeito Pepe Vargas (PT) foram discutidos no plenário”.
“Dei o meu parecer sobre como ele tinha de defender seu posicionamento sobre os processos e que provocaram discursos acalorados. No final, Alceu reconheceu que a avaliação que eu havia passado para defender estava certa e a partir daí ele me convidou para trabalhar com ele. Já se vão 18 anos”,
Basso recorda ainda: “Neste período fui seu secretário também na ASSURCON, que surgiu em 2008 para defender o fim das praças de pedágios instaladas pelo governo Antonio Britto PMDB, onde o Alceu foi o presidente durante anos pleiteando pelo fim dos pedágios, especialmente o que havia sido instalado entre Caxias e Farroupilha, o que acabou acontecendo no último governo Tarso PT, depois de anos de muitos embates e de muitos obstáculos. Nestes 18 anos consolidamos uma confiança mútua e recíproca”.

  Basso e os primeiros contatos
   visando as eleições de 2016

    Basso confirmou à Gazeta que embora estejamos a mais de um ano das eleições municipais, já iniciou, como chefe de gabinete, conversações iniciais com vários partidos, visando às eleições à prefeitura de 2016. Quando iniciou as atividade na chefia do gabinete em 6 de abril, no lugar de Edson Nespolo, que  reassumiu a Festa da Uva, Agenor Basso declarou que não iria se envolver nas negociações com os partidos políticos em relação a eleição municipal de 2016 e que elas ficariam a cargo do Prefeito. Passados 15 dias de sua posse, Basso reformulou esta posição em entrevista dada à Gazeta na manhã do dia 16.
   “Conversando com o prefeito, ele me autorizou a ouvir os partidos políticos, até porque, se tem algo que eu me orgulho em minha vida é de sempre dialogar e conversar com quem me procura”, afirmou Basso.
    E Basso não perdeu tempo, conforme revela: “Nos meus primeiros 15 dias posso dizer que já fui procurado por vários partidos quando fizemos os primeiros contatos visando o pleito de 2016 e analisando as questões partidárias”.
   E acrescenta: “Posso dizer que já tivemos diálogos interessantes e produtivos sobre a situação em nível local, estadual e nacional. Posso dizer também que estes contatos iniciais vêm ao natural, respaldados pelo prefeito. Dou esta contribuição inicial de estabelecer algumas bases, juntamente com o prefeito, cabendo a ele posteriormente dar uma configuração final em possíveis e futuras alianças”.
    Ele não quis revelar por enquanto os nomes dos partidos com quem já manteve os primeiros contatos, mas ressaltou: “A chefia de gabinete entra ao natural nesse diálogo com as diversas agremiações partidárias, dando uma contribuição preliminar para que o prefeito possa decidir de forma mais direta e objetiva e acertar os detalhes finais”.
    Em relação à candidatura à reeleição do prefeito em 2016, Basso afirma: “O prefeito Alceu é muito parcimonioso em se manifestar sobre sua possível candidatura à reeleição. Claro que esta possibilidade existe e é legal, até porque estou fazendo os primeiros contatos e mantendo os primeiros diálogos com os partidos e elas podem ficar mais fortalecidas com o passar dos dias. Mas, no momento, posso antecipar que ele está apenas focado em seu projeto de governo para trazer soluções para Caxias do Sul”.
    Quanto à manutenção da aliança com o PMDB, caso Alceu concorra à reeleição, Basso lembra: “Ainda não se falou sobre o assunto. Mas já se disse várias vezes que em time que está ganhando não se mexe. O projeto desta aliança vitoriosa tem como base o PMDB/PDT ou o PDT/ PMDB e vários outros partidos e chegará a 12 anos seguidos no final de 2016, com três eleições vitoriosas e mantê-la, reelegendo o Alceu, se for o caso, poderá significar mais quatro anos com o mesmo projeto vitorioso”.
    Trabalhista histórico, ainda do tempo do antigo PTB, um dos fundadores do PDT, Basso ressalta: “O PMDB e o PDT em Caxias representam de fato o antigo PTB (1945/1965), quando os trabalhistas elegeram três prefeitos em cinco eleições entre 1947 a 1963, e cujos eleitores acabaram também sendo decisivos em 1968, já com a sigla MDB, ao ajudarem a eleger Victorio Trez derrotando a ARENA”.




Leia Mais ...

Artigo 1063

0 comentários
                  Qual é a hora certa de vender um imóvel?                             

Germano Leardi Neto 
Diretor de relações Institucionais

    Não faltam motivos para querer vender um imóvel: a família aumentou e precisa de mais espaço, ou você arrumou um novo emprego e quer ficar perto do trabalho, ou será que você se aposentou e quer a tranquilidade do interior? E isso sem falar que você pode simplesmente ser um investidor que ganha a vida comprando e vendendo imóveis. Se você se encaixa em alguma dessas situações acima, é importante saber qual é o melhor momento para vender o seu imóvel e fazer um bom negócio.
    O primeiro passo está em olhar para o cenário econômico do país. Em 2015, a situação não é das melhores. Para se ter uma ideia, de acordo com o índice FipeZap, a valorização dos imóveis das principais cidades do país subiu 5,87% nos últimos 12 meses, índice abaixo da inflação esperada para o período, de 7,54%. Ou seja, desvalorização. Mas esse é só um dos pontos a serem analisados, especialmente ao se levar em conta que, nos últimos anos, o setor imobiliário foi uma das locomotivas de crescimento do Brasil. Na ponta da caneta, ainda é um grande investimento.
    Vale lembrar uma regra de ouro para o mercado imobiliário: em momento de queda de preços, o seu imóvel está perdendo valor - mas o que você quer comprar também. Isso funciona também em períodos de alta. E como todo mundo precisa de algum lugar para morar, isso significa que o setor imobiliário não sofre tanto quanto outros setores da economia com as variações normais. Até por que, é um setor crítico que conta com estratégia de financiamento do governo com juros interessantes.
    Por isso, se você está pensando em vender, precisa levar em conta tanto a economia brasileira quanto as suas necessidades e os seus objetivos pessoais. Se a necessidade de trocar de casa é maior do que a capacidade de esperar, vale encarar e fechar negócio. Agora, para um investidor, o peso da economia é maior. Aí, é bom ver o que gente como você está fazendo. Ao que tudo indica, as pessoas passaram a retardar a compra do imóvel próprio. Segundo dados do Sindicato da Habitação de São Paulo (SECOVI-SP), houve um decréscimo de 40% na venda de imóveis no último ano.
    Diante dessa situação, um bom caminho pode ser esperar para ver se os rumos do mercado apontam para mais queda, mas ficando pronto para os negócios de ocasião que podem aparecer. Independente do período, ninguém deseja comprar um imóvel em mal estado e com problemas no fluxo de água ou no quadro elétrico. Portanto, reformas e pequenos reparos na parte interna ajudam, e muito, na valorização do imóvel. 
    Além de se preocupar com a parte interna do imóvel, o investidor deve estar atento, também, aos fatores externos, ou seja, o crescimento comercial e de infraestrutura do bairro e até mesmo as construções de novas linhas de Metrô próximas à região.
    É claro que o valor do imóvel ainda depende da situação do vendedor. Quem precisa negociar com urgência tende a tornar o preço um pouco mais atrativo. Mesmo assim, na hora de anunciar o imóvel, procure definir o preço já pensando na forma de pagamento e colocando uma margem de desconto em torno de 5%. Faça bem as contas e boa sorte!




Leia Mais ...

sábado, 18 de abril de 2015

Manifestações contra a terceirização

0 comentários
As manifestações nacionais contra o Projeto de Lei 4330, que regulariza a terceirização para a atividade-fim, ficaram marcadas em Caxias do Sul por assembleias realizadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos, nas portas das principais indústrias do setor metalmecânico, no dia 15.


                                                                                                                                              Foto Pedro Frizzo
Em Caxias trabalhadores protestaram contra a terceirização

   O Sindicato dos Metalúrgicos informou aos funcionários sobre os detalhes da lei. Além disso, um material informativo foi entregue aos trabalhadores.
    O presidente do Sindicato, Assis Melo, ressalta o fato de o projeto seguir para votação no Senado. E, a partir de agora, será necessária a realização de mobilização junto aos senadores.
Em todo o Brasil foram realizadas diversas manifestações organizadas por centrais sindicais. Em Porto Alegre, durante o período da manhã do dia 15, as principais ações aconteceram no setor de transporte. Algumas empresas de transporte coletivo urbano não foram às ruas. O trem também não operou na capital durante a manhã.
    A Associação dos Magistrados do Trabalho da 4ª Região promoveu ato público na sede da Justiça do Trabalho de Caxias do Sul com o objetivo de chamar a atenção para os efeitos do Projeto de Lei 4330, que amplia as terceirizações.
   O protesto, que contou com a adesão de advogados e de entidades trabalhistas, como o Sindicato dos Metalúrgicos e o Sindicomerciários, foi realizado em conjunto com outras cidades do País
Nas manifestações efetuadas no saguão da Justiça do Trabalho, os juízes e representantes trabalhistas afirmaram que o Projeto representa um retrocesso contra todos os avanços obtidos com a CLT. Conforme o diretor do foro e juiz da 2ª Vara do Trabalho de Caxias, Maurício Marca, a ampliação das possibilidades de terceirizações abre espaço para o desemprego e a precarização das relações de trabalho como um todo.
   A Câmara de Vereadores de Caxias do Sul aprovou por unanimidade em regime de urgência no dia 15 a moção de contrariedade à aprovação do PL 4330/04, que regulariza a terceirização para a atividade-fim. O Projeto, cujo texto-base foi aprovado na última semana pela Câmara dos Deputados, vem causando polêmica e gerando diversas manifestações de entidades trabalhistas em todo o País. A moção é de autoria da bancada petista. O representante do partido, Rodrigo Beltrão, comentou que considera inaceitável a dedicação do Congresso em aprovar uma medida, que segundo ele, retiraria o direito dos trabalhadores. O parlamentar definiu o Projeto como 'nefasto' e que deveria ser motivo de greve geral.
   Pedro Incerti (PDT) ressaltou esperança que o Congresso aprove alguma emenda que minimize a situação, caso contrário, defendeu também a necessidade de mobilização e paralisação geral de todos os setores.

Lula: “Sindicalistas irão às ruas para 
 defender Dilma da “enrascada”

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou em evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT) que sindicalistas são as pessoas que vão às ruas defender a presidente Dilma Rousseff de '"enrascada".  Ele falou na abertura do Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Ele não explicou o significado de “enrascada”.
"Companheira Dilma, se tem gente que vai para a rua para te defender e te ajudar a sair dessa enrascada em que nós estamos, é essa gente aqui", afirmou. Lula não explicou a que se referia com o termo "enrascada".
    Em seu discurso, Lula afirmou que em 2005 ele recebeu apoio dos movimentos sociais no momento em que seu governo enfrentava as denúncias do mensalão. "Foi isso que deixou eles com medo. Já estavam até falando em impeachment. Aí eu falei: 'então, vamos pra rua'. Eu sei que logo, logo eles baixaram o facho, nós ganhamos 2006, elegemos a Dilma em 2010 e repetimos ela em 2014."
    Em sua fala a sindicalistas, Lula também pediu a Dilma para que "tente evitar" a aprovação do projeto de lei que regulamenta a terceirização, em análise pelo plenário da Câmara. "Dilma, conte conosco para qualquer coisa, mas tente evitar a aprovação. Ela, Dilma, não é deputada e, portanto não pode votar, mas tente fazer que o Congresso Nacional respeite as conquistas dos trabalhadores", afirmou. Lula disse que as conquistas trabalhistas foram obtidas com muita luta e, na avaliação dele, "certamente o senhor Eduardo Cunha não sabe".

Câmara adia conclusão da votação
   de projeto da terceirização
  
     Após reunião de líderes, a Câmara aprovou no dia 15, por meio de um acordo entre os partidos, um requerimento de retirada de pauta do projeto que regulamenta a contratação de empregados terceirizados pelas empresas. Com isso, a conclusão da votação do projeto ficou para a próxima quarta, dia 22. O texto principal do projeto foi aprovado na semana passada. Agora, para que a tramitação da matéria seja concluída, é necessária a votação dos destaques.
    O adiamento da votação era defendido pelo governo, que conseguiu a adesão de partidos de partidos da oposição, entre os quais o PSDB, e de algumas siglas da base aliada. Um dos trechos polêmicos da proposta é o que permite a terceirização de qualquer atividade. “Eu sou contra o adiamento. Meu compromisso é com a votação, não é com o conteúdo. A gente sabe que é da política fazer adiamentos para construir acordos. Mas pessoas que são contra tendem a adiar todas as votações e na medida em que vai votar constroem o entendimento”, afirmou o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha. Esse não é meu projeto, não é de minha autoria. Não tenho compromisso com a tese A ou B. Meu compromisso é que a Câmara vote e mostre produtividade.
    Segundo Cunha, o acordo teve adesão de vários partidos (PT, PMDB, PSDB, PRB, PR, SD, DEM, PDT, PPS e PV) e prevê que os deputados votem contra qualquer requerimento de retirada de pauta que eventualmente seja apresentado na próxima sessão e não permitam a obstrução de qualquer outra matéria que possa trancar a pauta nesse intervalo. Apesar de não ter conseguido votar o texto nesta quarta, conforme pretendia, Cunha disse não entender o adiamento como uma “derrota”.
    Para o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE) “Acho que prevaleceu o bom senso. Vou apresentar ao relator uma proposta de mesa de negociação, com a participação de empresários e sindicatos, para negociar um acordo até quarta-feira”.
    Inicialmente, parlamentares contrários ao projeto tentaram adiar a votação por meio da aprovação de um requerimento que tirava o texto de pauta. Apesar de verificar que o adiamento tinha a adesão de vários partidos, Eduardo Cunha anunciou que insistiria na votação, abrindo outras sessões extraordinárias para discutir a proposta. Com essa decisão de abrir sessões sucessivas nesta quarta, os partidos que desejavam adiar a análise do projeto teriam que apresentar em cada nova sessão requerimento pedindo a retirada de pauta. No microfone do plenário, o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), criticou a postura do presidente da Câmara. “Vai ser uma guerra insana, em violação à soberania do plenário. Tem que ter capacidade de diálogo”, disse.



Leia Mais ...

Web Designer Caxias

Facebook